Cinco pessoas executadas no litoral de SP

Cinco pessoas foram mortas a tiros na noite desta terça-feira, no momento em que conversavam no interior de um bar, localizado na Rua 8, do Balneário Esmeralda, na periferia de Praia Grande.Um jovem de 17 anos também foi atingido com vários tiros e se encontra internado em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva da Santa Casa do município.De acordo com testemunhas, o crime ocorreu por volta das 21h30, quando o bar ainda apresentava movimento. Um grupo composto por quatro homens encapuzados, ocupando um Fiat Uno, da cor verde, de placa não anotada, estacionou em frente ao estabelecimento e foi logo ordenando que todos se deitassem no chão.Em seguida, o tiroteio começou. Os tiros foram disparados de armas calibre 45, 38 e 380. As vítimas, executadas com tiros na cabeça, foram o açougueiro Antonio de Almeida Caldas, de 44 anos; os estudantes Alexandre Guilherme da Silva, de 15; William Lima Santos, de 18; Luiz Fernando Gonçalves, de 20 e Luiz Henrique Pereira, de 16.Gustavo André Farias, de 17 anos, levou dois tiros na cabeça e foi encaminhado para a UTI. Até o final da tarde desta quarta-feira, ele permanecia em coma.A Polícia ainda não tem pistas dos assassinos, que não puderam ser identificados, porque utilizavam capuz.O dono do bar, André Rodrigues do Nascimento, não soube informar o motivo da chacina. Ele disse que havia mais pessoas no estabelecimento.Segundo informou o delegado Carlos Batista, do 2º Distrito Policial, que está à frente das investigações, o esclarecimento deste crime, que chocou a população do município, é uma questão de honra para a Polícia.Várias equipes de investigação saíram às ruas nesta terça, a fim de localizar eventuais testemunhas, que teriam assistido às execuções.Nem uma das vítimas registra antecedentes criminais, o que deixa os policiais ainda mais intrigados, uma vez que a tese de um eventual acerto por dívidas com a compra de drogas está sendo descartada.A esperança da Polícia é a recuperação do estudante internado, considerado testemunha-chave da ocorrência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.