Cinco pessoas morrem por dia no País em ações envolvendo policiais

No ano passado, 1.890 pessoas foram mortas em casos com policiais em serviço, segundo a 7ª edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública

Renan Carreira , Agência Estado

05 de novembro de 2013 | 12h05

SÃO PAULO - Cinco pessoas morrem em média todos os dias no País vítimas da ação policial, de acordo com a 7ª edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado nesta terça-feira, 5, em São Paulo. No ano passado, 1.890 pessoas foram mortas em episódios envolvendo policiais em serviço.

Além disso, considerando as taxas de mortes por homicídio da população e de policiais, o risco de um policial morrer assassinado no Brasil é três vezes maior que o de um cidadão comum. A taxa de homicídio geral da população foi de 24,3 por 100 mil habitantes, enquanto a de policiais mortos em serviço e fora de serviço foi de 72,1 por 100 mil.

"A polícia está matando muito e morrendo muito", disse o coordenador do anuário, Renato Sérgio de Lima. Ele afirmou que os dados são uma evidência forte de que a forma como o Estado brasileiro atua para lidar com crimes é "anacrônica e falida".

Lima disse que, embora o gasto do País com segurança pública tenha atingido R$ 61,1 bilhões em 2012, alta de 16% ante o ano anterior, cerca de 40% desse valor é destinado a aposentados e inativos. "O Brasil gasta muito, mas investe mal", resumiu.

Tudo o que sabemos sobre:
Violênciasegurança púnlica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.