Cinco pessoas são indiciadas no caso Bwana Park

O delegado Arthur Cabral, que investiga o caso Bwana Park, onde foram encontrados mais de 100 animais mortos na semana passada, indiciou hoje as cinco pessoas que instalariam um clube de hedonismo no local, uma propriedade de 44 mil metros quadrados. Uma cláusula no contrato de comodato deixa claro, segundo o policial, que eles eram responsáveis pela alimentação dos animais do parque.Vera Lúcia de Oliveira, Heleson de Aquino Costa, Ronaldo Oliveira Duarte, Eduardo Henrique Meneses e Moacir dos Santos Souza foram indiciados com base na Lei de Proteção ao Meio Ambiente, que prevê maus-tratos e morte de animais. Os cinco teriam participado da administração do parque de 1º de abril até 5 de agosto.Titular da Delegacia de Repressão aos Crimes Ambientais (DRCA), Cabral ouviu hoje o depoimento de Vera, Duarte e de Eliete Vieira dos Santos, viúva do suíço Werner Meier, antigo dono do Bwana, morto em abril. Ele pretende ouvir novamente Meneses e o atual gerente, Daniel Marmy, além de Moacir de Souza e o veterinário Ricardo Cristalli.Eliete também deve ser indiciada pelo delegado, já que respondeu pela administração do parque até a última quarta-feira, dia em que o local foi interditado pelo Ibama e vendido, passando ao controle de Daniel Marmy.À polícia, Eliete disse que os mais de 100 animais encontrados em freezers no Bwana Park, na semana passada, estavam mortos há mais de um ano. Ela apontou o veterinário Ricardo Cristalli como o principal culpado pelo caso - o que se repetiu nos depoimentos de Vera e Duarte -, acusando-o de não informar os óbitos ao Ibama. Segundo o delegado, todos os depoentes alegaram que compravam comida para os animais.Ela também confirmou a venda de chimpanzés ao circo de Beto Carrero, disse que os animais empalhados encontrados não pertenciam ao Bwana e que as pedras apreendidas no local não são preciosas. Amanhã o delegado deve receber o laudo da morte do suíço, considerada suspeita, e também os resultados das necrópsias realizadas em algumas das carcaças dos animais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.