Cinco PMs são afastados em Niterói após decisão de juíza assassinada

Patrícia Acioli determinou afastamento por causa de irregularidades cometidas pelos agentes

Agência Brasil,

25 Agosto 2011 | 09h38

SÃO PAULO - Cinco policiais militares de Niterói, no Grande Rio, foram afastados do patrulhamento de rua, por determinação do Comando do Batalhão do município. O afastamento foi feito com base em uma decisão tomada pela juíza Patrícia Acioli, da 4ª Vara Criminal de São Gonçalo, assassinada no dia 12 de agosto.

 

A juíza determinou o afastamento dos policiais por causa de irregularidades cometidas pelos agentes quando eles ainda trabalhavam no Batalhão de São Gonçalo, município vizinho. A assessoria de imprensa da Polícia Militar não informou, no entanto, que irregularidades ou crimes foram cometidos pelos policiais.

 

Na última semana, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro encaminhou ao Comando Geral da Polícia Militar fluminense uma lista com o nome de 91 policiais que são réus em processos de homicídios em São Gonçalo. O tribunal solicitou que os PMs sejam afastados. A Polícia Militar está analisando a lista e verificando a necessidade de afastar ou transferir os agentes.

 

A participação de policiais militares no assassinato da juíza está sendo investigada pela Delegacia de Homicídios e pela própria PM.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.