Cinco supostos membros do PCC são presos no Paraguai

Principal detido é Murillo Rodrigues Noguera, procurado no Mato Grosso do Sul

O Estado de S. Paulo

26 de dezembro de 2017 | 20h05

Cinco brasileiros, supostamente membros do grupo criminoso PCC (Primeiro Comando da Capital) foram presos no norte do Paraguai, segundo informações do Ministério do Interior paraguaio. As prisões aconteceram na cidade de Pedro Juan Caballero, fronteira com o Brasil. As prisões aconteceram no sábado, dia 23. 

Segundo a agência de notícias EFE, o principal detido é Murillo Rodrigues Noguera, identificado como "integrante de uma perigosa célula criminosa do Brasil, o Primeiro Comando da Capital, vinculado a assaltos de blindados e com ordem de prisão no Mato Grosso do Sul", disse o ministério. 

++ RELEMBRE: PCC avança fronteira e explode empresa no maior roubo da história do Paraguai

++ Traficante mais procurado no Brasil é preso no Paraguai 

Foram presos também mais dois homens e duas mulheres, identificados como Danilo Vicente Ignacio, João Paulo Ramos,  Mayra Natanaelly Guedes de Moura e Erica dos Santos. 

Com eles foram aprendidos uma pistola Glock 17 Gen 4, de fabricação norte-americana, munição, telefones celulares e porções de maconha, ainda segundo a EFE. As autoridades paraguais estão trabalhando com as brasileiras na troca de informações sobre os detidos.  Em abril, o PCC foi apontado como responsável pelo maior roubo da história do Paraguai, quando mais de 30 homens com armamento de guerra e explosivos roubaram R$ 120 milhões da empresa de transporte de valores Prosegur.

No começo deste mês, o traficante Marcelo Piloto, um dos mais procurados do Brasil, foi preso no Paraguai. Piloto era o responsável no país vizinho para remeter armas e drogas para outra organização criminosa brasileira, o Comando Vermelho (CV). 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.