AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Cinco traficantes chefiaram ação em morros do Rio

A polícia voltou hoje a fazer incursões em morros da cidade. Pela manhã, o comandante do Batalhão de Operações Especiais (Bope), coronel Venâncio Moura, esteve no morro da Coroa, no Rio Comprido (zona norte), onde participou de uma operação chamada "Inquietação", com 25 policiais vasculhando os morros do Fogueteiro, do Fallet e da Coroa. O objetivo, segundo o comandante, é vistoriar 16 morros por dia, durante 12 horas. Nas batidas não houve confronto entre policiais e bandidos e ninguém foi preso. No início da tarde, em entrevista a uma emissora de televisão, o comandante do Bope disse que a polícia descobriu quem são os bandidos que comandaram as recentes tentativas de invasões do complexo dos Macacos, em Vila Isabel (zona norte), e da Coroa. São os traficantes Elias Pereira da Silva, o "Elias Maluco", um dos dez mais procurados do Rio, e Ulissiano do Nascimento, o "Ulisses de Vigário Geral". Os dois estão sendo procurados pela polícia, que está fazendo as buscas em favelas cariocas. Também durante a entrevista, o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Francisco Braz, disse que os comandantes dos batalhões é que vão decidir quando começarão a ser adiadas as chamada licenças especiais (por merecimento ou prêmio). Em ato publicado, na quarta-feira, no boletim interno da Polícia Militar, com circulação restrita aos comandantes de batalhões, Braz determinou que o benefício seja suspenso para que o efetivo policial nas ruas da cidade seja ampliado. As licenças especiais premiam 5% da corporação - cerca de dois mil dos 45 mil Pms. A licença é concedida pelos comandantes de batalhão a policiais com mais de dez anos de corporação. Para ser beneficiado, o policial tem que se candidatar e aguardar decisão do oficial superior, e permite que o militar se afaste do serviço pelo período de seis meses. No mesmo boletim, o coronel Braz avalia que o direito de ir e vir dos cidadãos, garantido na Constituição Federal, está sendo cerciado pela violência. Segundo o comandante-geral da PM, o policiamento será reforçado nos pontos mais críticos, como Centro e Tijuca, na zona norte.

Agencia Estado,

30 de maio de 2002 | 14h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.