Cinco traficantes morrem em operação policial no Rio

Cinco pessoas morreram e outras cinco ficaram feridas em uma operação policial realizada hoje nos morros de São Carlos e da Mineira, na Zona Norte do Rio. A polícia invadiu as favelas às seis da manhã, atrás do traficante Irapuan David Lopes, conhecido como Gangan. Segundo o chefe da Polícia Civil, o delegado Álvaro Lins, todos os mortos eram traficantes, que trocaram tiros com a polícia durante a operação. O tiroteio durou cerca de uma hora e a ocupação ainda seria mantida durante todo o dia de hoje."Há pelo menos duas semanas temos recebido o alerta de moradores de que haveria uma invasão de grupos rivais na região e por isso decidimos realizar a operação", informou Lins no programa de rádio do secretário estadual de Segurança, Anthony Garotinho. Segundo ele, três dos feridos também eram traficantes e dois, policiais. Outros três criminosos foram presos durante a operação. Os policiais atingidos passam bem.O tiroteio desceu para o asfalto quando um dos traficantes tentou fugir para a casa da família, na rua Queiroz de Lima, no Catumbi. Os policiais o seguiram e invadiram a casa, matando o criminoso. Em outra residência, uma granada explodiu no quintal, mas não houve feridos. A operação contou com cerca de 100 policiais de seis delegacias do Rio e teve o apoio de um helicóptero da Polícia. Lins disse que foram apreendidas diversas armas, entre elas fuzis e metralhadoras.Gangan é apontado como um dos principais líderes do Terceiro Comando (TC) e ficou conhecido ao ser responsabilizado pela polícia de participar do ataque à Prefeitura do Rio, em julho de 2002, quando o prédio foi atingido por cerca de 150 tiros e duas granadas foram lançadas contra uma guarita da Guarda Municipal. Segundo a polícia ele comanda o tráfico de drogas no morro do São Carlos. O traficante não foi encontrado durante a operação.Em Vigário Geral, na Zona Norte, a polícia prendeu um traficante em casa, seguindo informações recebidas pelo Disque-Denúncia. Luis Guilherme Costa da Silva, de 20 anos, foi preso com 39 sacolés de cocaína, roupas camufladas do Exército e dois rádio-transmissores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.