Cineastas não depõem sobre autorização de traficante para rodar filme

Os cineastas Katia Lund e Fernando Meirelles, diretores do filme "Cidade de Deus", não compareceram ao depoimento que estava marcado para 14h de hoje na Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), no Centro. Eles deveriam prestar esclarecimentos sobre o pedido de autorização ao traficante Gilberto Martins, o Mineiro, para rodar o filme na favela Cidade Alta, na zona norte do Rio, onde Mineiro é, segundo a Policia, o chefe do tráfico. A polícia vai incluir Katia e Meirelles no inquérito ao qual Mineiro responde por tráfico de drogas. Hoje, ele está em regime de liberdade condicional. Os cineastas também deverão dizer à polícia se convidaram o traficante Paulo Sérgio Savino Magno, o Pequeno, de 28 anos, para a pré-estréia de "Cidade de Deus", no último dia 19, em um shopping da Barra da Tijuca, na zona oeste. Pequeno é morador da favela Cidade Alta e seria o braço direito de Mineiro. Ele estava foragido quando foi preso em flagrante antes da exibição do filme.No fim da tarde de hoje, o advogado dos cineastas, José Carlos Fragoso, enviou um documento à DRE, informando que Meirelles só estará no Rio em 12 de setembro e Katia dois dias depois, já que estariam viajando para divulgar o filme. A carta dizia ainda que eles "não tomaram ainda ciência do respeitável mandado expedido". A dupla será agora intimada oficialmente, já que antes não havia punição por não haver participação em nenhum inquérito policial. "Se eles não comparecerem agora, vão responder por desobediência, sob pena de até um ano de prisão", disse o delegado Luiz Alberto Cunha. O Estado tentou entrevistar Kátia e Meirelles, mas não os localizou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.