Cinelândia santista começa a desaparecer

Aos poucos, Santos vai perdendo sua Cinelândia, como ficou conhecida a região do bairro do Gonzaga que concentrava os principais cinemas da cidade. Hoje foi a vez do Iporanga fechar suas três salas de exibição, depois de 47 anos de existência. Agora os espectadores só podem contar com dois cinemas na região, com três salas. Na última sessão, três filmes foram exibidos: Bruxa de Blair 2, Náufrago e A Fuga das Galinhas.Os cinemas de Santos até que sobreviveram bem ao surgimento da TV e, mas recentemente, das vídeo-locadoras. As salas de bairro foram fechando uma a uma, enquanto as do Gonzaga davam vida ao bairro, tal o número de espectadores que atraía. O golpe fatal, porém, começou a ser dado há cerca de dois anos, quando o Litoral Plaza Shopping foi inaugurado em Praia Grande, levando para a região a novidade do Cinemark. No ano passado, foi a vez de Santos ganhar suas salas no Praiamar Shopping.O contraste ficou evidente: na rede Cinemark, há filas para a entrada, enquanto os cinemas do Gozanga passaram a registrar queda crescente de público. "Essa é uma tendência mundial e onde entra o cinema de shopping, fecha o de rua", disse o diretor da Freixo Cine Teatral, Luiz Fernando Freixo. Ele pertence à terceira geração de empresários, tendo seu avô iniciado seus negócios no ramo em 1919 e confessa que a decisão de fechar o Iporanga deixou-o "muito triste". "Mas não havia outra alternativa", completou. O prédio, de 2.500 metros quadrados, poderá ser demolido para abrigar um empreendimento imobiliário ou alugado a um grupo paulistano interessando em manter o cinema aberto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.