Cinzas vulcânicas seguem para o mar, e voos no Sul são normalizados

Emissão de cinzas de vulcão chileno deve ser reduzida no sábado, diz instituto.

BBC Brasil, BBC

10 de junho de 2011 | 18h42

A nuvem de cinza vulcânica que prejudicou o tráfego aéreo do país deve se mover completamente para o Oceano Atlântico ainda na noite desta sexta-feira, de acordo com a Força Aérea Brasileira (FAB).

Segundo o meteorologista do Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea da FAB, Major Daniel Neiva Filho, a nuvem se move a 80 km por hora e, se não houver mudanças nas condições meteorológicas, ela já estaria acima do oceano após as 18h.

As informações são baseadas no último boletim divulgado pelo instituto argentino que monitora as cinzas vulcânicas no Cone Sul, o Volcanic Ash Advisory Centres.

O instituto afirmou ainda que até a noite de sábado a atividade do vulcão chileno Puyehue deve diminuir, reduzindo consideravelmente a emissão de cinzas.

No fim da manhã e início da tarde, à medida que as cinzas do vulcão se descolavam rumo ao Atlântico, as principais empresas aéreas - como TAM e Gol - começaram a restabelecer as operações em cidades no sul do país.

Na véspera, a chegada da nuvem vulcânica provocou o fechamento de diversos aeroportos no Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Normalização

Segundo a Gol, a partir das 16h desta sexta, foram reiniciadas as operações nas cidades gaúchas de Porto Alegre, Caxias do Sul e Chapecó.

Pela manhã, a empresa já havia restabelecido voos para Florianópolis, Navegantes e Joinville, em Santa Catarina.

A TAM também informou que voltou a operar em Porto Alegre e Florianópolis a partir das 15h. No entanto, a empresa informou que poderá voltar a suspender suas operações no Sul, já que "as condições meteorológicas e a atividade do vulcão estão mudando constantemente".

Desde a quinta-feira, as operações no aeroporto de Porto Alegre têm sido afetadas devido às cinzas expelidas pelo Puyehue.

No início da tarde desta sexta, o Volcanic Ash Advisory Centres afirmou que a nuvem, que chegou a cobrir 70% do Rio Grande do Sul pela manhã e a avançar por Santa Catarina e Paraná, já se dissipava rumo ao oceano.

As companhias brasileiras ainda aguardam autorização para retomar os voos para a Argentina e o Uruguai.

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) reitera a recomendação a todos os passageiros com voos marcados de/para os aeroportos da região sul do Brasil para que consultem sua companhia aérea antes de se dirigir ao local.

Colaborou João Fellet, de Brasília BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.