Ciro Gomes é condenado a indenizar Collor

O ex-deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) foi condenado pela Justiça de São Paulo a pagar R$ 100 mil ao senador e ex-presidente Fernando Collor (PTB-AL), a título de indenização por danos morais.

Daniel Bramatti, O Estado de S.Paulo

27 Agosto 2011 | 00h00

A ação se refere a declarações de Ciro feitas em 1999, quando, em uma entrevista, chamou Collor de "playboy safado" e "cheirador de cocaína".

Ciro atacou o alagoano ao se referir ao debate entre Collor e Luiz Inácio Lula da Silva em 1989, quando ambos eram candidatos à Presidência. Para ele, Lula deveria ter sido mais agressivo contra o adversário.

"Collor falou que Lula tinha um aparelho três em um e Lula ficou perplexo. Logo depois, Collor disse: "Você quis fazer um aborto em sua mulher"", afirmou o ex-ministro, na época. "Lula devia ter partido para cima. Ter dito: "Deixa de ser picareta, seu playboy safado. Eu sou um miserável do interior, vim num pau de arara. Engravidei involuntariamente minha namorada, mas não tinha dinheiro nem para comer. Passou na minha cabeça esse negócio de aborto. Graças a Deus, ela não concordou. Minha filha está aí, estou criando. Agora, você é um playboy, cheirador de cocaína." Eu tinha mandado uma porrada nele (Collor) que ele tinha saído quase cego."

Para o juiz Marcos Roberto de Souza Bernicchi, da 5.ª Vara Cível da capital, "não existe qualquer dúvida de que as expressões tenham sido proferidas com intenção clara de ofender o autor (da ação), mesmo porque escapam plenamente a qualquer campo do debate político e ingressam em seara pessoal que jamais deve ser exposta".

O Estado procurou ontem Hélio Parente de Vasconcelos Filho, um dos advogados de Ciro, mas ele não respondeu aos recados deixados com sua secretária. A sentença ainda pode ser contestada em segunda instância.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.