Ciro Gomes e Olívio Dutra vão a Petrópolis

A Prefeitura de Petrópolis, na região serrana do Estado do Rio, pediu ajuda aos ministérios das Cidades e da Integração Nacional e ao próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva para conseguir recursos para reconstruir a cidade,castigada pelas chuvas. Nesta terça-feira, os ministros Olívio Dutra e Ciro Gomes devem visitar o município.O prefeito Rubens Bomtempo (PSB), que declarou situação de emergência no município pelos próximos 60 dias, enviou nesta segunda-feira ofício aos ministérios e ao presidente com informações sobreos estragos causados pelo temporal do último sábado. O valor do pedido de ajuda não havia sido divulgado até o início da noitedesta segunda pela Prefeitura.Bomtempo informou que o dinheiro deverá ser aplicado na pavimentação de 200 ruas, que tiveram o calçamento destruído e ficaram cobertas pela lama que desceu das encostas; na reconstrução de trechos da rede de água e esgoto e na recuperação de muros de contenção.A Prefeitura já havia conseguido R$ 200 mil do Fundo de Defesa Civil do governo do Estado do Rio. O dinheiro deverá ser gasto em obras emergenciais. Por determinação do prefeito, otrabalho de limpeza da cidade está sendo feito inclusive de madrugada. Quatrocentos trabalhadores foram contratados em regime de emergência. No total, mais de mil pessoas foram mobilizadas.A situação de emergência foi decretada atéo fim do verão por causa da possibilidade de novas chuvas fortes. A tromba d´água que atingiu a cidade no sábado, além dos prejuízos na cidade, provocou a morte de 17 pessoas. Segundo oprefeito, 17 pessoas ficaram desabrigadas, e 26, desalojadas. Quem teve a casa condenada pela Defesa Civil receberá auxílio-aluguel da prefeitura.Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), ainda há previsão de chuvas para as próximas 48 horas. A meteorologista Ana Maria Mattos explicou que o temporal do último sábado foi causado pela passagem de uma frente fria pelolitoral da Região Sudeste, associada a áreas de instabilidade no continente. A frente está estacionada, o que significa que há possibilidade de novos temporais.O prefeito fez duras críticas nesta segunda-feira ao ex-ministro da Integração Nacional Ney Suassuna, que responsabilizou o município pelas conseqüências do temporal. Bomtempo chamou Suassuna de negligente ao dizer que o governoFernando Henrique Cardoso depositou com oito meses de atraso R$ 4,4 milhões dos R$ 62,5 milhões reivindicados pela Prefeitura háum ano, quando a chuva provocou outra tragédia em Petrópolis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.