Cirurgião plástico tem registro profissional suspenso

A Justiça Federal em Goiás suspendeu na noite de sábado o registro profissional do médico Marcelo Caron, acusado da morte de quatro pacientes que se submeteram a cirurgias plásticas realizadas por ele. O juiz federal Osmane Antônio dos Santos aceitou o pedido de medida cautelar apresentado pelo promotor Diaulas Costa Ribeiro, da Promotoria de Defesa dos Usuários dos Serviços de Saúde do Distrito Federal. Os Conselhos Regionais de Medicina (CRMs) de Goiás e do Distrito Federal deverão julgar todos os processos em tramitação contra Marcelo Caron e até a conclusão dos julgamentos o registro do médico ficará suspenso. Caron responde a seis processos e 35 sindicâncias por erro e imperícia médica. A morte mais recente foi de Adcélia de Souza, na última terça-feira, após uma lipoaspiração e uma cirurgia de implante de silicone coordenadas por Caron. O médico também é acusado das mortes de Vera Lúcia Teodoro, Janete Figueiredo e Flávia Rosa, todas em Goiânia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.