Cisnes negros ''se mudam'' para Parque do Ibirapuera

O casal de cisnes negros resgatado do lago da Aclimação deve ficar com a "família" enquanto seu "lar" não voltar a existir. As aves foram transferidas temporariamente para o Parque do Ibirapuera, na zona sul, onde há crias dessas aves. Também foram transferidas outras 34 aves e mais de 295 peixes que sobreviveram ao escoamento de água na Aclimação. Segundo a veterinária Adriana Marques Joppert, nenhum dos animais chegou ferido ao Ibirapuera. O reencontro entre o casal de cisnes ocorreu ontem em um cercado no Viveiro Manequinho Lopes, no Ibirapuera. O macho já estava lá desde terça-feira. A fêmea chegou ontem pela manhã - só pôde ser resgatada quando diminuiu a movimentação em torno do lago da Aclimação, para que nada a espantasse. Cisnes são monogâmicos, segundo a veterinária Vilma Clarice Geraldi, diretora da Divisão Técnica de Medicina Veterinária e Manejo da Fauna Silvestre do parque. Só trocam de parceiros se um deles desaparece. No Ibirapuera, o casal, 4 patos, 3 marrecos e 21 gansos vindos da Aclimação têm à disposição um pequeno tanque artificial. Um pato e seus filhotes são mantidos em outro local, pois as grades do cercado não impediriam que fugissem. A expectativa é de que todos os animais sejam soltos no parque até segunda-feira. Quando a lama da Aclimação se tornar novamente um lago, os peixes e aves poderão voltar para a moradia original.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.