CNBB critica governo por distribuição de camisinhas

A Igreja Católica brasileira criticou duramente nesta sexta-feira as campanhas do governo de distribuição de preservativos a fim de prevenir doenças sexualmente transmissíveis durante o carnaval e em escolas públicas do país. O governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva lançará no domingo uma campanha para a entrega de 10 milhões de camisinhas durante as festas em todo o País. Outros 25 milhões de camisinhas já foram distribuídas em janeiro pelo Ministério da Saúde como parte do programa oficial de prevenção à aids. "Se pensa que isso vai ajudar? Não acredito", disse a jornalistas nesta sexta-feira o cardeal Geraldo Majella, presidente da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). A campanha de distribuição gratuita durante o carnaval se soma a uma recente iniciativa oficial para ampliar o programa que, desde o início da década, permite a entrega de camisinhas em alguns colégios do ensino médio. "Acredito que está claro que a educação deve cuidar da educação e não de um desvio do próprio comportamento. É necessário que regras sejam estabelecidas. Agora, se esta é a educação que querem fazer da sexualidade ... isto nós certamente não podemos concordar", acrescentou. O Brasil, que tem 187 milhões de habitantes, possui a maior população católica do mundo. O país receberá a visita em maio pelo papa Bento XVI.

Agencia Estado,

09 Fevereiro 2007 | 18h16

Mais conteúdo sobre:
carnaval carnaval 2007

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.