CNBB pressiona STF para derrubar liminar a favor de aborto

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) intensificou as pressões para tentar convencer o Supremo Tribunal Federal (STF) a revogar a decisão que permitiu a interrupção de gestações de fetos comanencefalia. Assinado no dia 1º pelo ministro do STF Marco Aurélio Mello, o despacho liberando a antecipação dos partos foi questionado pela CNBB sob o argumento de que os fetos estão com o seu direito de nascer ameaçado.Hoje, o secretário-geral da CNBB, dom Odilo Scherer, esteve com o presidente do STF, Nelson Jobim, que, durante estemês, é o responsável por decidir pedidos urgentes já que o tribunal está em recesso. Caberá a Jobim resolver se mantém ou não a liminar de Marco Aurélio e se aceita o pedido da CNBB para que a entidade seja admitida como parte na ação que tramita no Supremo.Além de liberar a antecipação dos partos, Marco Aurélio determinou a suspensão dos processos abertos contra quem fez a interrupção de gestações de fetos com anencefalia. "Manter-se a gestação resulta em impor à mulher, à respectiva família, danos à integridade moral e psicológica, além dos riscos físicos reconhecidos no âmbito da medicina", justificou Marco Aurélio na decisão questionada pela CNBB. O ministro observou que as crianças com essa anomalia vivem no máximo algumas horas após o parto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.