Ernesto Rodrigues/Estadão
Ernesto Rodrigues/Estadão

CNH Digital tem adesão de apenas 0,36% dos motoristas

Entre os motivos para a baixa adesão está a necessidade de ir ao Detran; usuários também reclamam de aplicativo

Priscila Mengue, O Estado de S.Paulo

16 de julho de 2018 | 03h00

Esquecer a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) em casa não é mais uma preocupação para o motorista George Abbas, de 36 anos, do Rio. Ele fez a versão digital do documento há cerca de um mês. “Facilita a vida. Se perder o celular, tenho a de papel. Se perder a de papel, tenho a digital”, diz.

Mas Abbas é uma exceção dentro do cenário nacional, no qual apenas 0,36% dos motoristas têm a CNH digital, o que corresponde a 247,6 mil pessoas. A nova versão do documento passou a ser emitida progressivamente desde outubro. E desde o começo do mês, é disponibilizada em todos os Departamentos Estaduais de Trânsito (Detrans) do País. 

+ Após início de multas em mercados, procura por cartão de idoso sobe 125%

Entre as 27 unidades federativas do País, São Paulo é a que mais emitiu CNHs digitais, com um total de 49.955 unidades. No Estado, a emissão passou a ser possível em março. Mas, proporcionalmente, São Paulo fica em 21º no quadro nacional, pois a cobertura é de apenas 0,22% do total de motoristas. Os primeiros colocados são Goiás e Rio Grande do Sul, nos quais, respectivamente, 1,13% e 1,03% das CNHs têm versão digital.

Baixa adesão. Um dos motivos para a baixa adesão é que o documento só pode ser emitido a distância se o motorista tiver uma CNH com QR Code e também um certificado digital (que é pago, com custo superior a R$ 100). Quem ainda tem a versão antiga da habilitação, deve pedir uma segunda via impressa, para ter uma CNH com o QR Code (não é preciso esperar a CNH vencer para solicitar a segunda via do documento). Depois, é preciso fazer um cadastro no site do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e ir a uma unidade do departamento de trânsito para confirmar os dados. 

+ Detran-SP elege as desculpas mais criativas para burlar multa na Lei Seca

As exigências para obter o documento digital também são criticadas por usuários nas plataformas de download. No Google Play (para Android), o app CNH Digital é avaliado com nota 2,7, não muito diferente da 2,3, apontada por usuários do iTunes - em ambos, a nota máxima é 5. Até 29 de junho, foram mais de 2 milhões de downloads, número 800% maior que o de usuários que efetivamente fizeram a carteira.

+ As mudanças na nova Lei Seca

Nas plataformas, é frequente a falta de informação sobre a necessidade de ter um certificado digital ou de comparecer ao Detran. Há, também, relatos de dificuldades para instalar e manipular o aplicativo. “A avaliação do aplicativo pode estar associada à impossibilidade do usuário, que ainda não tem a CNH em papel com QR Code”, justificou o Serviço Federal de Processamento de Dados, responsável pelo aplicativo, por meio de nota. Segundo o Serpro, uma versão 2.0 do CNH Digital será lançada no segundo semestre e vai contemplar também a documentação do veículo. 

Documento. O estudante de Direito Afonso Rennó, de 25 anos, fez a carteira digital um mês após renovar a licença para dirigir. Ele ainda carrega a versão impressa. “Ainda não pediram (a carteira), não sei como vai ser. Levo (a impressa) junto dos documentos do carro.”

A CNH Digital é reconhecida pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e pode ser aceita como documento oficial no momento do embarque de voos domésticos. A carteira já é aceita pelas maiores companhias do País, como Latam, Gol, Avianca, Passaredo e Azul. 

Dentre as locadoras de carros contatadas pelo Estado, a Movida e a Localiza afirmaram aceitar a CNH Digital, enquanto a Localiza exige a versão impressa. Além disso, a Polícia Militar de São Paulo já aceita a versão digital nas ocasiões em que exige a apresentação da CNH.

CNH DIGITAL

Para tirar a CNH digital, é preciso seguir algumas etapas:

1) O motorista deve ter a carteira de habilitação em papel com QR Code; quem tem a versão antiga, deve pedir uma segunda via impressa.

2) Com a carteira com QR Code em mãos, o motorista precisa fazer o cadastro no site do Denatran.

3) É necessário confirmar as informações pessoais. Para fazer esse processo à distância, o motorista tem que tirar uma certificação digital, que é paga. Ou tem que comparecer pessoalmente a uma unidade do Detran.

4) Depois dessas etapas, o motorista deve instalar o aplicativo CNH Digital no celular (há versões para IOS e Android). O acesso ao aplicativo é feito por um código de ativação. Depois, o motorista tem de criar uma senha de 4 caracteres para acessar o documento no celular.

Vale lembrar que o documento só é aceito se apresentado no aplicativo oficial. Não são válidas cópias.  A CNH Digital pode ser bloqueada pelo site do Denatran em caso de roubo ou furto do celular.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.