CNT apresenta plano de transportes para Caracas

A Confederação Nacional dos Transportes (CNT) apresentou, no Recife, ao presidente venezuelano, Hugo Chávez, o plano diretor de transportes de passageiros para a grande Caracas, que envolve seis grandes cidades e uma população de 6,5 milhões de pessoas. O projeto faz parte de um plano de concepção e modernização de todo o sistema de transporte daquela país, a ser executado em cinco anos, ao custo de US$ 500 milhões. Além da CNT emprestar o seu knowhow, o governo brasileiro se comprometeu a buscar as fontes de financiamento para a implantação do projeto, de acordo com o consultor internacional, da entidade, Paulo Carvalho.O projeto prevê a modernização, desenvolvimento da logística populacional, renovação da frota, treinamento e qualificação de mão-de-obra, e terá como modelo o sistema adotado em Curitiba (PR), e em Bogotá, na Colômbia, com adequação às características e cultura da Venezuela. Em duas semanas, a primeira etapa do projeto, que também prevê o uso do vale-transporte, e foi aprovada ontem por Chávez, será oficializada na Venezuela. Paulo Carvalho frisou que o plano contempla também rodovias e ferrovias, e visa a integração da Venezuela com o Brasil no setor viário-aquático. Segundo ele, a Venezuela tem hoje uma frota de 60 mil coletivos, parte deles com mais de 20 anos de uso, sendo necessária uma intervenção no setor, que está defasado também em relação à infra-estrutura e sistema tarifário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.