Co-piloto depõe sobre acidente em Maresias

O co-piloto do helicóptero do Grupo Pão de Açúcar, Luiz Roberto de Araújo Cintra, não acrescentou fatos novos em seu depoimento sobre o acidente ocorrido em 27 de julho, em Maresias, no litoral paulista, que matou o piloto Ronaldo Ribeiro e a namorada do empresário João Paulo Diniz, a modelo Fernanda Vogel. O advogado do Grupo Pão de Açúcar, Mário Luz de Freitas, acompanhou o depoimento desde às 9h50 da manhã. "No depoimento, ele reviveu momentos desagradáveis e estava comovido, pois tinha muita amizade com o piloto." Cintra não quis dar declarações à imprensa, na saída do 3º Distrito Policial, na Rua Aurora. Segundo o promotor Fernando Cézar de Almeida, o co-piloto trouxe mais detalhes técnicos durante o depoimento. O delegado Jorge Carrasco, que ouviu as declarações de Cintra, afirmou que a carta precatória com os depoimentos do co-piloto e do empresário João Paulo Diniz deve seguir ainda hoje à delegacia de São Sebastião, passando antes pela Delegacia de Capturas (Decap), em São Paulo. Na carta precatória, o co-piloto e o empresário são citados como vítimas, e não testemunhas.

Agencia Estado,

17 de agosto de 2001 | 13h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.