Cobrador assaltado 9 vezes reage e é morto

O cobrador de ônibus Maximiniano Antonio da Silva, 48 anos, morreu na noite desta sexta-feira ao reagir a três assaltantes, um deles armado com um revólver calibre 38. O assassinato ocorreu num coletivo da Viação Cidade Tiradentes que fazia a linha Divisa São Caetano - Jd.Santo André, na Grande SP.Na altura do nº 5200 da Avenida Sapopemba, em Vila Tolstói, zona leste de São Paulo, o motorista Adalberto Luiz Alves Freire, 33 anos, parou para a entrada de três homens. Mesmo com o ônibus lotado e com mais de 20 pessoas em pé, um deles apontou a arma para o cobrador e anunciou o assalto.Irritado com mais um dos nove assaltos já sofridos nos últimos meses, Freire avançou no pescoço do bandido, que atirou contra o ouvido do cobrador, que morreu no local. Sem levar nada, o trio desceu do ônibus e fugiu.Segundo o delegado Carlos José Oliveira Zanuto, do 70º Distrito Policial, do Sapopemba, onde o caso está registrado, em média ocorrem por dia cinco assaltos a ônibus na região.ProtestoOs 1.200 funcionários, entre motoristas e cobradores de ônibus, da Viação Cidade Tiradentes, fizeram um protesto nesta manhã e decidiram não tirar os ônibus da garagem até depois do sepultamento do colega assassinado, com horário ainda não definido.A empresa opera 35 linhas, em bairros como Itaquera, São Mateus, Sapopemba, Iguatemi, entre outros na zona leste, além de muitas linhas que levam os usuários aos terminais Parque Dom Pedro e Princesa Isabel, no centro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.