Cobrança abusiva

No dia 6 de outubro abri um chamado na Comgás porque o gás estava intermitente. Técnicos da empresa vieram ao prédio, constataram que o medidor estava bloqueado e o trocaram. No dia 11 de outubro recebi uma conta com valor absurdo, e o que mais me chamou a atenção foi a quantidade de m³ cobrados, uma vez que nada na residência tinha mudado. O que gastamos normalmente varia de 27 m³ a 33 m³. Em outubro a cobrança foi de 84 m³, ao custo de R$ 310,32. Pediram inclusive que eu desligasse tudo durante 20 minutos para verificar se havia vazamento, mas o relógio se manteve na mesma marcação. Abri diversos protocolos por telefone e a Comgás sempre pedia para eu aguardar cinco dias úteis. Na última vez a empresa me ligou e falou que a cobrança estava correta. Eu fui então até a loja da empresa e abri outro protocolo. Desde então (27/10) ninguém entrou em contato e no dia 13 de janeiro recebi um aviso de que o meu gás seria cortado, caso eu não efetuasse o pagamento. Paguei para não ter o gás cortado, mas está claro que estão cobrando a mais e não dão a mínima ao consumidor. BEATRIZ JAKOBOWICZ COATISSão PauloBete Akemi, da Ouvidoria da Comgás, informa que foi constatada uma falha pontual na leitura do medidor da cliente e que a nota fiscal de outubro no valor de R$ 310,32 foi cancelada e substituída por uma de R$ 115,66. A leitora contesta: No dia 29 soube, por meio da Coluna, que a empresa fez os ajustes na minha conta. Não recebi a nota substitutiva nem fui contatada. Espero a devolução dos R$ 310,32 e a nota substitutiva. Mais e mais lucrosNem sei como ainda me espanto com a ganância dos bancos. O Banco Bradesco, da Avenida Aclimação, resolveu cobrar pelo estacionamento de seus clientes. Até aí, nenhum problema, pois a maioria da máfia bancária o faz. Mas, neste caso, está cobrando por meia dúzia de vagas no recuo da calçada! Não há manobrista nem é coberto! Será que o lucro de bilhões de reais apresentado a cada trimestre não é suficiente para cobrir o seguro de seus estacionamentos? A desculpa para os juros extorsivos é o spread bancário - qual é para a cobrança das vagas? E desde quando banco pode sublocar o espaço de imóvel alugado para empresas de estacionamento terceirizadas? Isso não é ilegal? Quem usa banco o faz por obrigação. O estacionamento deveria ser gratuito!MARCUS COLTROSão PauloA Assessoria de Imprensa do Banco Bradesco S.A. informa que, após tentativas de contato sem êxito, enviou correspondência eletrônica ao cliente com as devidas explicações. Conta em dobroEstou com problema com a cobrança da Eletropaulo. A conta que tenho com a empresa é debitada automaticamente em minha conta corrente. Em dezembro recebi duas contas nos valores de R$ 95,24 e de R$ 63,31 com mesmo vencimento. No dia 5/1 estive na agência da Eletropaulo no Anhangabaú, onde aguardei por uma hora para ser atendido. Expliquei a situação para a funcionária, mostrando as contas e o extrato do banco, pedindo que ela informasse o que teria acontecido. Ela disse, mostrando muito mau humor, que provavelmente eu devia ter gasto acima de minha média de consumo e que poderia ser um reajuste. A minha média mensal varia de R$ 70 a R$ 90 - somos somente duas pessoas. Já é a segunda vez que isso acontece. Em 2008 fui reclamar e nada consegui. Enfim, não consegui saber o motivo da dupla cobrança. Tenho 76 anos, saí de minha residência no Alto de Pinheiros até o Anhangabaú para receber uma explicação da empresa e uma solução, mas nada consegui. E ainda fui mal atendido. Vivo de minha aposentadoria e não posso ficar pagando duas contas a cada mês sem saber por quê. Solicito uma ajuda para saber o que realmente está acontecendo. O meu receio é eles continuem a debitar duas contas em minha conta corrente.ARNALDO DA COSTA MARTINS São PauloA Eletropaulo não respondeu à Coluna.O papel dos fiscaisAbsurda, para dizer o mínimo, a resposta da SPTrans sobre o questionamento de um leitor quanto ao ruído produzido por veículos (O ruído dos veículos na cidade, 21/1). Agora virou papel do cidadão ficar de plantão e anotar as placas e os números de veículos cujo ruído ele considere que ultrapasse os limites de decibéis tolerados? Certamente o leitor se referiu a diversos veículos, e não a um específico. Para que servem os fiscais da CET e da SPTrans?LAILA GUILHERME DOS SANTOSSão PauloAs cartas devem ser enviadas para spreclama.estado@grupoestado.com.br, pelo fax 3856-2940 ou para Av. Engenheiro Caetano Álvares, 55, 6.º andar, CEP 02598-900, com nome, endereço, RG e telefone, e podem ser resumidas. Cartas sem esses dados serão desconsideradas. Respostas não publicadas são enviadas diretamente aos leitores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.