Código é vago e construtoras não dizem nada

Apesar de serem planejados com piscina, sauna e quadra, os megacondomínios não apresentam locais que comportem o lixo produzido pelos moradores. O Código de Obras é vago em relação às dimensões da lixeira. Prevê que qualquer edificação com mais de 750 m² de área , exceto residências unifamiliares, deve ter abrigo "suficientemente dimensionado" e compartimentado para lixo não-reciclável, reciclável e tóxico, no interior do lote. Mas não especifica o quanto seria. Procuradas pelo Estado, oito das maiores construtoras da capital afirmaram "não ter o que dizer sobre o assunto".Entre as que responderam, a informação é que a área para lixo vem aumentando. "Nos últimos projetos, a área dobrou em relação à da década de 90", disse Samara Meneses, gestora de incorporações da Construtora Cosil. A Lello Condomínios, administradora com 1,2 mil clientes na cidade, orienta os prédios que produzem mais lixo do que conseguem armazenar a contratar uma coleta paga. Mas isso só em último caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.