Coligação PFL/PSDB pede no TSE condenação da CUT

A coligação ´Por um Brasil Decente´ (PSDB-PFL) entrou com representação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para que seja retirada do site da Central Única dos Trabalhadores (CUT) na internet a ´Revista do Brasil´, editada pela regional São Paulo da entidade, e proibida a distribuição da revista.Na ação, a coligação alega que a regional da CUT noticia o lançamento da ´Revista do Brasil´ como se fosse a chegada ao mercado de uma publicação especial para os trabalhadores. A coligação transcreve a matéria publicada no lançamento da publicação para afirmar que a revista está sendo utilizada para a prática de condutas ilícitas por parte da regional da CUT.A coligação argumenta ainda que a revista foi editada antes do dia 6 de julho, o que configura propaganda antecipada, e que houve uma verdadeira panfletagem eleitoral em favor do candidato Luiz Inácio Lula da Silva e propaganda negativa ao seu principal opositor, Geraldo Alckmin. Na representação, os partidos citam algumas matérias veiculadas na publicação: "O segredo de Lula"; "Diga-me para quem governas"; "Política / Pavor de Investigação", que, segundo a coligação, visam ressaltar a suposta força eleitoral do atual presidente da República ao informar que seu governo não desmantelou programas sociais e não privatizou direitos sociais e culturais. PSDB e PFL pedem, liminarmente, que o TSE proíba a distribuição da ´Revista do Brasil´ e que a CUT paulista retire o material referente à revista de seu site na internet. Solicitam também a aplicação de multa prevista no parágrafo 3º do artigo 36 da Lei 9.504/95 (Lei das Eleições), no valor máximo igual a 50 mil Ufir. Uma Ufir equivale hoje a R$ 1,0641.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.