Colisão com carreta deixa 6 mortos na Anhangüera

Seis pessoas morreram e duas ficaram feridas por volta das 5h de ontem em um acidente na altura do km 53 da Rodovia Anhangüera, sentido interior, perto de Jundiaí. O acidente envolveu duas carretas, uma laranja e outra cinza, um caminhão azul, uma picape S 10 preta e um Celta branco. Até ontem à noite, dois corpos ainda não tinham sido identificados. Cinco das vítimas formavam um grupo de amigas que voltava do Bar Metrópolis, na Avenida Paulista, zona sul da capital, com destino a Jundiaí, onde moravam. Segundo a Polícia Militar, as mulheres, na faixa dos 30 anos, estavam dentro do Celta quando o veículo foi atingido na traseira pela picape S10, que corria a 185 km por hora. Testemunha que passava pelo local, o garçom Marcelo dos Santos parou o carro no acostamento, perto da picape, quando viu uma carreta vir em direção ao Celta. "O automóvel estava parado bem no meio da pista quando a carreta passou por mim. O motorista tentou frear, mas não conseguiu e bateu na traseira do Celta. A carreta arrastou o carro para frente e gerou uma explosão." Segundo Santos, após o impacto, os dois veículos bateram em um caminhão e em outra carreta. "Veio um clarão. Por causa do combustível derramado, o fogo começou a incendiar a pista". A testemunha diz que três das mulheres deveriam estar fora do carro, pois foram atiradas para o outro lado da rodovia e morreram no local. Segundo a Polícia Militar, na versão mais provável do acidente, as passageiras do Celta teriam descido do automóvel para discutir com o motorista da picape quando foram atingidas pela carreta. Ainda no local, os veículos teriam sido saqueados por motoqueiros, levando R$ 3 mil do motorista do caminhão azul, único a sair ileso do acidente. O condutor da carreta que bateu no Celta, Renato da Silva, de 32 anos, e uma das passageiras tiveram os corpos carbonizados pela explosão. Outro corpo foi encontrado pela polícia entre a carreta e o Celta. As outras vítimas identificadas até ontem eram a provável condutora Sandra da Silva Senni, de 31, Elaine Cristina Loiola, de 38, e Danielle Lourençon, de 37.De acordo com o Instituo Médico Legal de Jundiaí, duas mulheres tinham os corpos bastante carbonizados e a identificação provavelmente será feita por arcada dentária ou DNA. Os motoristas da picape e da segunda carreta tiveram ferimentos leves.

Gabriela Gasparin, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2012 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.