Collor presidirá Comissão de Relações Exteriores

Ofuscado pelo poder de José Sarney (PMDB-AP) e pelo oposicionismo de Itamar Franco (PPS-MG), também ex-presidentes, o senador Fernando Collor (PTB-AL) ganhou um palco particular para se projetar: foi eleito para comandar a Comissão de Relações Exteriores do Senado.

, O Estado de S.Paulo

24 de fevereiro de 2011 | 00h00

Nos últimos dois anos, Collor chefiou a Comissão de Infraestrutura, que fiscaliza as obras do Programa de Aceleração do Crescimento. Como aliado, não causou problemas ao Planalto.

Ao ser confirmado no comando da comissão, Collor prometeu realizar, ao longo do ano, uma série de audiências públicas sobre a situação geopolítica mundial. Adiantou, também, que tratará do disciplinamento de regras novas no processo de aprovação de autoridades. A CRE trata, entre outras questões, da aprovação dos acordos internacionais firmados pelo Brasil.

Ruralistas. Na Câmara, em meio às discussões para a aprovação de um novo Código Florestal, os ambientalistas sofreram uma derrota na distribuição do comando das comissões permanentes da Casa entre os partidos. O PV não conseguiu assegurar a presidência da comissão, entregue pelo PDT ao deputado ruralista Geovani Cherini (RS). Com os ruralistas, ficou a Comissão de Agricultura. A escolha dos cargos segue a ordem do tamanho das bancadas partidárias e, pela regra, o PDT - com 27 deputados - chegou na frente. O bloco formado pelo PV e pelo PPS soma 24 deputados. Esse bloco comandará a Comissão de Defesa do Consumidor. "Foi feito um acordo e no próximo ano a Comissão de Meio Ambiente será do PV. Será feito uma espécie de rodízio", afirmou o líder da legenda, Sarney Filho (MA).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.