Colômbia confisca ilha do traficante Abadia

A Colômbia disse na segunda-feira terapreendido 400 milhões de dólares em bens, inclusive uma ilhano Caribe, de um chefe do tráfico preso neste mês no Brasil eque aguarda uma decisão sobre sua extradição para os EUA. Cerca de 322 propriedades, inclusive fazendas, prédios deapartamentos, um hotel, um ginásio e uma ilha no litoral deCartagena, foram confiscados de Juan Carlos Ramírez Abadia, o"Chupeta", segundo as autoridades. Ramírez Abadia, que ganhou notoriedade na década de 1990como líder do ainda poderoso cartel do Norte do Vale, sediadoperto de Cali, usou cirurgias plásticas para mudar suaaparência e tentar passar despercebido. Apesar disso, foi preso em 7 de agosto num condomínio deluxo nos arredores de São Paulo. Dali, segundo as autoridades,ele supervisionava um bilionário negócio de venda de cocaínapara Europa e Estados Unidos. Ramírez Abadia, 44 anos, já cumpriu pena por tráfico naColômbia, mas ainda há várias acusações pendentes contra ele. Desde sua prisão, Ramírez Abadia deixa claro que espera serextraditado para os EUA e que teme por sua vida caso volte àColômbia. Neste ano, a polícia encontrou cerca de 90 milhões dedólares em dinheiro escondido em vários apartamentos de Cali(sudoeste da Colômbia). As autoridades suspeitam que o valorteria sido acumulado por Ramírez Abadia. (Por Hugh Bronstein)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.