Com 11 cidades em estado de emergência, ES terá mais chuva

Desde o primeiro dia do ano, algumas cidades do Estado já tiveram quase toda a chuva esperada para um mês

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

06 de janeiro de 2009 | 11h59

A Defesa Civil do Espírito Santo está em alerta com a previsão de chuvas fortes, acompanhada de ventos de até 50 km/h e descargas elétricas nesta terça-feira, 6. A frente fria que mudou o tempo durante o fim de semana permanece parada, próxima ao litoral capixaba, pelo menos até a quarta-feira, de acordo com a Climatempo.   Veja também: Situação é crítica no Vale do Itajaí, avalia Defesa Civil de SC Trecho da BR-101 em SC é liberado para caminhões  Todas as notícias sobre vítimas das chuvas   Por conta da forte chuva no fim de semana, várias cidades devem decretar situação de emergência ainda nesta terça-feira, 6, de acordo com a Defesa Civil. Até as 17 horas da segunda, 11 municípios já haviam decretado a emergência.   De acordo com a Defesa civil, nesta terça devem ser divulgadas a situação em outras quatro cidades atingidas pela chuva durante o fim de semana, que deixaram cerca de 500 pessoas desabrigadas e outras 7.500 desalojadas.   Em seis dias, quase toda a chuva do mês   O total de chuva acumulado desde o dia primeiro de janeiro é de aproximadamente 140 milímetros, quase toda a chuva média do mês. Em Linhares, choveu cerca de 106 milímetros entre 10 horas do domingo e 10 horas desta segunda-feira, de acordo com Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).   Além do risco de mais chuva forte nas próximas 48 horas, o elevado nível do Rio Doce também é motivo de preocupação, pois ele corta o Espírito Santo passando pela região de Baixo Guandu, Colatina e Linhares.   Segundo a Climatempo, em Colatina, às 9 horas desta segunda-feira, o nível do Rio Doce já atingia a cota de alerta. Em Linhares, o rio já começava a transbordar. Esta situação exige maiores precauções aos moradores de áreas de risco, principalmente encostas e locais alagáveis.   Devido às chuvas intermitentes, o risco aumenta, já que encharcou em demasia o solo, e propicia deslizamentos, principalmente nos extremos sul e norte do Espírito Santo, segundo a Defesa Civil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.