Com 12 vagas, cadeia de Bilac tem 91 presas

Mesmo interditada pela Justiça, a Cadeia Feminina de Bilac, a 537 km de São Paulo, ainda recebe presas. A situação da carceragem, onde 91 mulheres se amontoam num espaço feito para 12, causaram revolta na deputada federal Luíza Erundina (PP), da CPI do Sistema Carcerário, que visitou o local ontem. "As condições são desumanas."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.