Com 14 mortos, Santa Catarina pede ajuda a Estados vizinhos

Chuva já deixa 7.556 desabrigados; governador ligou para Lula e reforçou pedido de auxílio à região de Blumenau

Natalia Gomez, da Agência Estado,

23 de novembro de 2008 | 13h54

Subiu para 14 o número de mortos por soterramento em razão das fortes chuvas em Santa Catarina (SC). Foram sete vítimas fatais em Blumenau, três em Jaraguá do Sul e outras quatro mortes em Brusque, Garuva, Gaspar e Pomerode. Segundo a Defesa Civil de Santa Catarina, os temporais que caíram desde sexta-feira à noite deixaram 7.556 desalojados e desabrigados. Deste total, 2.311 estão nas casas de amigos e parentes, enquanto 5.245 estão em abrigos públicos.   Veja também: Explosão de gás abre cratera e interdita BR-470 em SC Temporais devem atingir 16 estados e o DF até 2ª feira   Mais de 1,5 milhão de pessoas foram afetadas. Três municípios - Rio dos Cedros, Pomerode e Benedito Novo - precisaram ser isolados. O rio Itajaí-Açu, em Blumenau, está 10 metros acima do nível normal. O estado de alerta é acionado quando o nível do rio passa de oito metros.   Neste domingo, 23, o governador Luiz Henrique (PMDB), de Santa Catarina, conversou por telefone com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para reforçar o pedido de auxílio à região de Blumenau, principalmente com helicópteros nas áreas isoladas da cidade. Ao presidente, o governador disse que o maior problema na região é a chuva constante.    Luiz Henrique também fez contato na manhã deste domingo com governadores do Paraná, Roberto Requião (PMDB), e do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB), para pedir apoio no atendimento às vítimas das fortes chuvas que castigam o estado nos últimos dias. O governo gaúcho informou já ter colocado à disposição da Defesa Civil catarinense um depósito com colchões, cobertores e travesseiros.     As fortes chuvas na região começaram há cerca de dois meses e o governador decretou situação de emergência no Estado no sábado. Segundo informações do site do governo de Santa Catarina, Luiz Henrique visitou as cidades de Brusque, Gaspar e Blumenau e deverá também se deslocar para Joinville, onde o número de desabrigados e desalojados já ultrapassa 2 mil pessoas. O governador pediu que a população do Vale do Itajaí evite sair de suas residências devido aos vários pontos de rodovias estaduais e federais afetados. "Faço um apelo para que as pessoas não se desloquem e, se estiverem em trânsito, que observem as várias situações do trajeto".   Numa reunião que contou com a presença do governador e de várias autoridades envolvidas no acompanhamento da situação de emergência, os meteorologistas da Epagri/Ciram informaram que a condição de chuva continuará crítica nas próximas 24 horas, podendo chover entre 60 e 80 mm no Vale do Itajaí, 60 mm na Grande Florianópolis e entre 70 e 100 mm na região no Litoral Norte. O volume de chuva entre sexta-feira , 21, e as 9 horas da manhã deste domingo, superou 524 mm em Luiz Alves, 455 mm em Balneário Camboriú, 403 mm em Itajaí e em Itapoá, 300 mm em Blumenau, 254 em São José e 216 em Florianópolis.   A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional de Blumenau, por meio de sua Gerência Regional de Educação, informou que as aulas de toda a rede estadual de ensino de sua área de abrangência (Blumenau, Gaspar, Ilhota, Luís Alves e Pomerode), estão suspensas.   Matéria ampliada às 15h47

Mais conteúdo sobre:
Santa Catarinachuvasemergência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.