Com 23% de atrasos, Anac considera aeroportos normalizados

Apesar de persistirem alguns atrasos, a movimentação nos aeroportos do país estava normalizada nesta terça-feira, 26, considerando-se a época do ano, quando a demanda tradicionalmente aumenta, informou a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A TAM, companhia aérea em que estava sendo registrado o maior número de atrasos nos últimos dias, também afirmou, em nota, que a operação estava "regularizada" e que o atraso médio era de 50 minutos. Nesta terça, até as 17h, do total de 1.206 vôos que decolaram em todo o País, 281, ou 23%, tiveram atrasos de mais de uma hora, segundo boletim da Anac. Outros 37 foram cancelados. A maioria dos atrasos ocorreu em São Paulo: no aeroporto de Guarulhos, houve 51 atrasos, ou 41%, e oito vôos foram cancelados. No sábado, antevéspera de Natal, chegou a 55% o índice de vôos com mais de uma hora de atraso, apesar de, no dia anterior, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ter ordenado o uso de aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) no transporte de civis. O tumulto verificado no dias que antecederam o Natal tiveram início com a manutenção não-programada em seis aeronaves da TAM na quarta-feira, 20. Também afetaram os aeroportos naquele dia as fortes chuvas que levaram ao fechamento do aeroporto de Congonhas (SP) por 50 minutos e dificuldades na comunicação entre os sistemas de dados da TAM e da Infraero no aeroporto Tom Jobim (RJ). Os atrasos e cancelamentos daquele dia provocaram o que a Anac chamou de "efeito dominó". Posteriormente, como a situação se prorrogou por dias, o governo acusou a empresa de estar praticando "overbooking" - venda de mais assentos do que comporta o avião. Por determinação da agência reguladora, a TAM chegou a suspender a venda de passagens, que só foi retomada nesta terça. Num movimento incomum que sugere uma resposta ao governo, a maior companhia aérea do país antecipou, nesta tarde, balanço da ocupação dos vôos domésticos em dezembro, que está em 74%, estável em relação ao ano passado. Auditoria A Anac confirmou ter iniciado nesta terça auditoria na TAM para apurar os motivos dos transtornos registrados na semana passada. A agência só pretende se pronunciar sobre o assunto ao concluir a investigação, o que deve ocorrer no final desta semana. A Anac também estaria fiscalizando o sistema de reservas das demais companhias aéreas do País. A TAM confirmou ter recebido na sede, em São Paulo, uma equipe da Anac que está "efetuando auditoria no sistema de reserva da empresa, com acesso total e transparência a todos os sistemas". A empresa informou ainda que espera concluir até o final do dia a restituição de bagagens aos passageiros. Segundo a TAM, havia nesta tarde 250 volumes não devolvidos nos aeroportos de Guarulhos e do Galeão (RJ), a maioria sem identificação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.