Com 84 cidades em emergência, MG já tem prejuízo de R$ 250 mi por chuvas

Desde outubro, 17 pessoas morreram devido ao mau tempo; há quase 17 mil desalojados

Marcelo Portela, especial para o Estado

17 de janeiro de 2011 | 17h55

BELO HORIZONTE - A chuva já causou prejuízo de pelo menos R$ 250 milhões em Minas Gerais. O montante é a estimativa relativa a casas, estradas e outros tipos de instalações e construções danificados ou destruídos pelos temporais. E o governo mineiro quer o auxílio da União para a recuperação da infraestrutura. Parte do trabalho de recuperação dos estragos, inclusive, é feito em parceria pelo Estado e pelas Forças Armadas.

 

"Conversei sexta-feira passada com a presidente Dilma, que se ofereceu para ajudar, e solicitei o apoio das Forças Armadas. Especialmente, na primeira emergência, que é restabelecer as comunicações", disse no domingo o governador Antônio Anastasia (PSDB), após reunião com representantes de órgãos envolvidos no auxílio às vítimas e reconstrução da estrutura.

 

Além disso, o Exército também auxilia na reconstrução de estradas estaduais destruídas pela água e por deslizamentos de terra e ajudou a restabelecer o acesso a Alagoa, no sul de Minas, que ficou isolada após temporais na semana passada. A região, ao lado da Zona da Mata, é a mais castigada pela chuva. O governo mineiro também negocia com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) para a recuperação emergencial das estradas federais no Estado, que tem a maior malha viária do País.

 

"Sabemos que a malha rodoviária federal em Minas atravessa problemas. Então, as chuvas agravam esses problemas", observou Anastasia. "Estamos encaminhando ao Governo Federal esse pedido de R$ 250 milhões, que será, na sua maioria, a favor dos municípios. Mas também a favor de parte do Estado, que teve prejuízos nas estradas estaduais", acrescentou.

 

Já para os comerciantes o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) criará um fundo que deve oferecer capital com juros subsidiados para a recuperação dos prejuízos. O decreto com a definição do fundo e os critérios para ter acesso aos recursos, de acordo com o governo, deve ser editado esta semana.

 

Desde outubro, temporais em Minas já causaram a destruição ou danos em 6.621 casas e 431 pontes, além de outras construções e das próprias rodovias. Nesta segunda-feira, chegou a 84 o número de municípios que decretaram situação de emergência. Hoje, a Defesa Civil Estadual informou que as cidades de Carvalhos, Itumirim e Tapiraí também estão nesta situação.

 

A chuva deixou ainda 16.957 desalojados e 2.594 desabrigados. No período, 17 pessoas morreram por causa de enchentes. A última delas foi Luiz Mateus de Oliveira, de 25 anos, cujo corpo foi encontrado no domingo no rio das Velhas, em Sabará, na região metropolitana de Belo Horizonte.

 

(Com Pedro da Rocha, da Central de Notícias)

Mais conteúdo sobre:
chuvasMinas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.