Com afastamento, Sobel não se reunirá com o papa em SP

Com o afastamento da presidência do rabinato da Congregação Israelita Paulista (CIP) por causa da sua prisão nos EUA, o rabino Henry Isaac Sobel, de 63 anos, não deverá mais receber o papa Bento XVI num encontro de líderes religiosos no Mosteiro de São Bento, em maio.O rabino Michel Schlesinger é apontado como o possível substituto de Sobel. Ele deixou às 22 horas de quinta-feira, 29, a sede da CIP, na região central de São Paulo, sob forte esquema de segurança, acompanhado da presidente, Dora Lúcia Brenner e de outros integrantes da direção.Sobel pediu na quinta-feira afastamento do cargo depois da divulgação da notícia de sua prisão na sexta-feira, 23, em Palm Beach, Flórida. Ele foi acusado de furtar cinco gravatas de grife, uma delas na loja Louis Vuitton da Avenida Worth, conhecida como a Rodeo Drive (a rua mais chique de Beverly Hills) da cidade.Um funcionário da loja chamou a polícia após dar falta de uma gravata e achar o rabino suspeito. O vídeo interno mostra Sobel pegando a peça, dobrando-a e deixando a loja de mãos vazias, provavelmente com ela no bolso. No carro do rabino, estavam outras quatro gravatas furtadas. No total, as cinco gravatas são avaliadas em US$ 680.Filho de belgas, nascido em Portugal, mas cidadão americano, Sobel mora no Brasil há 36 anos. Seu salário na Congregação Israelita Paulista, a maior do País, é estimado em R$ 25 mil. Durante a tarde de quinta-feira, o rabino esteve em Campinas, onde participou de um evento da comunidade judaica.PenaO rabino foi acusado formalmente de furto em varejo pela Louis Vuitton, Giorgio?s e Gucci - a Giorgio Armani foi a única que ainda não procurou a polícia de Palm Beach. A pena máxima prevista é de 5 anos. Sobel terá de se apresentar ao juiz de Palm Beach para uma audiência no dia 23 de abril.O caso se assemelha ao da atriz Winona Ryder, que foi pega furtando US$ 5,5 mil em roupas da Saks Fifth Avenue de Beverly Hills, em 2001. Ela foi condenada a 3 anos em liberdade condicional. A prisãoSegundo a ficha da polícia do condado de Palm Beach, um policial deteve o rabino duas horas depois de ele sair da Louis Vuitton, andando pela Avenida Worth. Ao ser abordado pelo policial, Sobel imediatamente negou ter roubado qualquer mercadoria.Após o policial afirmar que ele havia sido filmado pelo circuito interno de vídeo da loja, o rabino se ofereceu para pagar pela gravata, ainda negando o furto. Uma única gravata da Louis Vuitton custa, em média, US$ 150.O rabino levou o policial até seu carro, onde o item estava guardado. Em uma sacola, a polícia encontrou gravatas das marcas Louis Vuitton, Giorgio´s, Gucci e Giorgio Armani, que Sobel admitiu também terem sido roubadas. Sobel foi preso e dormiu em uma cela com vários outros prisioneiros, na prisão de Palm Beach, a mesma onde ficaram a bispa Sônia e Estevão Hernandez, da igreja Renascer, presos em janeiro. Ele ficou cerca de 21 horas na cela que abriga até 64 detentos. Pagou fiança de US$ 3 mil para ser liberado. Ninguém sabia que ele é rabino. ?Ele disse que era professor?, disse Janet Kinsella, porta-voz da polícia de Palm Beach.A Avenida Worth reúne marcas como Hermés, Jimmy Choo, Cartier, Valentino, Saks Fifth Avenue, Ferragamo, Gucci, Louis Vuitton e Armani. Celebridades como Donald Trump, Rod Stewart e a Família Kennedy têm casa em Palm Beach, onde a renda média anual dos habitantes é de US$ 138 mil.(Patrícia Campos Mello, Bruno Tavares e Rodrigo Brancatelli)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.