Com chegada de frente fria, tempo vai melhorar em São Paulo

O Estado de São Paulo continuou sob o efeito da massa de ar quente e seco que deixou o tempo aberto e a umidade baixa durante a semana. Nesta tarde, a temperatura máxima registrada na capital foi de 28,8 graus, no Mirante de Santana, na zona norte, e a mínima foi de 14,7 graus. A umidade máxima chegou a 33%, também na zona norte, mas o número chegou a 23% no Aeroporto de Congonhas. A situação deve melhorar a partir de amanhã, devido à entrada, nesta quinta-feira, 27, de uma frente fria no Sul do País, que criou as áreas de instabilidade sobre Santa Catarina e o Rio Grande do Sul. As nuvens também aumentaram bastante sobre o Paraná e sobre Mato Grosso do Sul, mas por enquanto, há mais nebulosidade alta do que chuva, segundo a Climatempo. Na sexta-feira, 28, a frente fria avança sobre São Paulo, provocando pancadas de chuva no sul e no leste do Estado. Na capital, segundo o meteorologista Marcelo Pinheiro, da Climatempo, a aproximação da frente fria vai melhorar a umidade do ar e causar chuva entre o fim do dia e o início da noite. "Teremos nuvens mais baixas, que vão melhorar a umidade", disse. sol aparece nas demais áreas e o tempo segue firme, porém com algumas nuvens. A umidade do ar vai continuar baixa no norte paulista, atingindo o estado de atenção durante a tarde. Na capital, a situação deve melhorar no sábado, quando há 70% de probabilidade de chuva. A qualidade do ar na capital, de acordo com medição da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb), ficou irregular nesta quinta-feira, 27, nas estações de Santo Amaro e Dom Pedro II, e regular nas outras 17 estações.De acordo com a meteorologista Aline Ribeiro, do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), o inverno quente e seco dos últimos dias, apesar de atípico, já estava previsto. "No inverno, o mês de julho sempre é o mais seco. O que está acontecendo nos últimos dias é um fenômeno chamado de veranico, em que o tempo fica sem nuvens, com muito sol e temperaturas elevadas", explica. A meteorologista diz que esse é um fenômeno normal, ocasionado devido a uma mudança no padrão de circulação da atmosfera que impede a chegada das frentes frias ao Sudeste. Mas ela garante que até o fim de semana haverá uma queda brusca de temperatura, com a vinda de uma frente fria do Sul do País. "A temperatura vai cair em 10 graus. Como nos últimos dias as máximas chegaram a 30 graus, vai dar para sentir o friozinho." Nesta época do ano, além do tempo seco, a população também sofre com a concentração maior de poluentes na atmosfera, o que diminui a qualidade do ar e aumenta o número de doenças respiratórias. "No verão, o ar quente leva os poluentes para camadas mais altas da atmosfera. No inverno, a falta de ventos não dispersa os poluentes e eles ficam concentrados nos níveis mais baixos da atmosfera, a 150, 200 metros de altura", explica Carlos Lacava, gerente de interpretação de dados da Cetesb, que faz as medições da qualidade do ar na capital. Com o ar seco e poluído, a Defesa Civil do Município faz algumas recomendações: beber líquidos, comer mais frutas e vegetais, não manter objetos que acumulem poeira, evitar o ar-condicionado (ele resseca mais o ar), não fumar em ambientes fechados e não fazer exercícios físicos caso a umidade atinja níveis iguais ou inferiores a 15%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.