WERTHER SANTANA/AE
WERTHER SANTANA/AE

Com fim da chuva, SC prepara reconstrução

57 mil pessoas estão desalojadas; meta agora é limpar as ruas e ajudar os desabrigados

Carla Cavalheiro, especial para o Estado

10 Setembro 2011 | 12h26

A previsão do tempo se confirmou e o sol de sábado pela manhã e a redução do nível da água do rio Itajaí-Açú durante a madrugada contribuiu para que o cenário de destruição que afeta mais de 800 mil pessoas em Santa Catarina se tornasse mais animador e facilitasse o início dos trabalhos de reconstrução e atendimento a desabrigados e desalojados pela Defesa Civil estadual.

Os relatórios da Defesa Civil sobre o desastre da chuva que perdurou por 72 horas, afetando 91 municípios, provocando duas mortes e resultando em prejuízos ainda incalculáveis, tiveram resultados favoráveis principalmente a partir das 19h de sexta-feira, quando o nível do rio começou a baixar mais rápido do que o esperado e no sábado pela manhã alcançava os 11 metros em Blumenau.

“Apesar da melhora do tempo isso não diminui os estragos registrados em cidades que decretaram situação de emergência e em Rio do Sul e Brusque, onde foi decretado estado de calamidade pública”, lembra o major Émerson Emerim, da Defesa Civil catarinense. De acordo com o último boletim da Defesa Civil de SC, até as 12 horas de sábado eram 36 cidades em estado de emergência. As cidades de Agronômica, Brusque e Rio do Sul declararam calamidade pública.

Com a melhora do tempo e a baixa do nível da água, o momento agora é de limpar as cidades e atender os desabrigados. O Exército, a Força Aérea Brasileira e centenas de voluntários iniciaram no sábado o apoio principalmente no atendimento dos desabrigados que ainda estão em regiões ilhadas e que ocupam abrigos. Remédios, comida, roupas, água estão sendo levadas a famílias que ocupam igrejas e escolas.

O número de desalojados no sábado pouco antes das 12h era de 57 mil pessoas. “Com a redução do nível da água, a limpeza das casas e a confirmação de que não há risco dessas pessoas retornarem a seus lares, esse número irá diminuir. Até segunda-feira os dados serão mais positivos”, projeta Emerim, que confirma que 8,2 mil pessoas ficaram desabrigadas com as chuvas em Santa Catarina.

Situação em Itajaí

Com a baixa do nível da água do rio Itajaí-Açu em Blumenau, a expectativa da Defesa Civil esteve centrada durante a madrugada e manhã de sábado no que o escoamento poderia ocasionar em Itajaí, no litoral norte catarinense, para onde a água do rio corre para encontrar o mar.

A água aos poucos chegou à cidade e deixou 19 bairros submersos e 17 mil pessoas desalojadas e mais de duas mil desabrigadas. Além da zona rural, os bairros Dom Bosco e Cidade Nova foram as regiões mais atingidas.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil municipal, Everlei Pereira, domingo ainda será um dia de alerta na cidade. “Sofremos aqui os reflexos do que ocorre em Blumenau. O pico máximo de escoamento deverá ser verificado no domingo e temos que lembrar que a força da maré interferirá na liberação desse volume de água para o mar. Estamos ainda em estado de alerta apesar de não termos previsão de mais chuvas”, afirmou.

Por precaução, a companhia de energia estadual cortou a luz na maioria dos municípios. Após a morte de um homem que bateu o remo de uma canoa na rede de alta tensão em Rio do Sul, a cidade mais atingida pela chuva em Santa Catarina. Em Blumenau, onde 90% dos imóveis ficaram sem luz, aos poucos a energia está sendo restabelecida.

Um fato inusitado foi registrado no início da madrugada de sábado. Uma mulher entrou em trabalho de parto em Ilhota, uma das cidades que ficou praticamente ilhadas durante a enchente. Enquanto era transportada para Itajaí num caminhão do Exército, o bebê nasceu. Márcia Denise da Cunha e a filha Maria Eduarda estão internadas na maternidade Marieta, em Itajaí e passam bem.

De acordo com dados da Epagri-Ciram, o acumulado de chuva em Santa Catarina em 40 dias atingiu 542 milímetros sendo que 208 milímetros desse total foram registrados nos nove primeiros dias de setembro. A média prevista para o mês era de 150.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.