Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Com frieza, matador de taxistas diz que não sabe total de crimes

O ex-motorista Anestor Bezerra de Lima, de 30 anos, acusado de ter matado pelo menos oito taxistas em Minas, São Paulo e Rondônia, confessou à polícia em Mato Grosso que não sabe quantos crimes cometeu nos três Estados nos últimos 40 dias. O criminoso não sabe sequer os nomes das vítimas.A polícia terá que utilizar fotografias para Lima fazer o reconhecimento durante interrogatório nos inquéritos. "Ele (Anestor) disse que nem se recordava quantas eram suas vítimas e que já tinha perdido a somatória", afirmou o major Ataíde Ribeiro Taques, que comandou a operação para a prisão de Anestor, na sexta-feira, em Colniza (MT).Por medida de segurança, o matador em série de taxistas, que era um dos homens mais procurados do País, foi transferido da delegacia de Juína (MT), no sábado, para o Presídio do Carumbé, em Cuiabá. Não há previsão para a transferência de Bezerra de Lima para os Estados de Minas e São Paulo, onde ele cometeu a maioria dos crimes.Neste fim de semana, a Justiça de Mato Grosso autorizou apenas sua transferência para Cuiabá, informou o delegado da Divisão de Operações Especiais de Secretaria de Justiça e Segurança Pública, Marcos Veloso. "A transferência depende agora da Justiça, uma vez que as polícias de São Paulo e Minas já sabem da sua prisão", disse Veloso.Tentativa de subornoAos policiais militares que fizeram sua prisão, Bezerra de Lima disse que era um "ladrão" e não maníaco, e por isso matava suas vítimas, para roubar. Lima ofereceu R$ 100 mil a policiais civis e militares para que fosse solto. Ele chegou a mostrar um extrato bancário onde estavam depositados R$ 250 mil. O criminoso surpreendeu a polícia de MT ao confessar que matou duas pessoas no Estado. Entretanto, não se tem informação de quem seria a segunda vítima. A última vítima do criminoso foi o taxista de Machadinho D´Oeste (RO), Joscinei Alves de Oliveira, de 25 anos. Seu corpo foi encontrado na região do Vale das Conchas, distrito de Guaíba, na região de Colniza (1.065 km ao extremo norte de Mato Grosso na divisa com Rondônia). Segundo o delegado de Juína, José Abdias Dantas, o inquérito em MT sobre a morte do taxista será concluído nos próximos dias, uma vez que Bezerra de Lima já confessou o crime.Frieza nas respostasBezerra de Lima chegou algemado em Cuiabá num avião monomotor e foi levado para o Pronto-Socorro de Cuiabá. Ele tem duas balas alojadas no corpo: uma no braço esquerdo e outra na perna esquerda e deve ser submetido a cirurgia para retirada dos projéteis."Ele (Agenor) demonstrou ser uma pessoa bastante fria. Foi questionado se tinha dado sonífero para uma de suas vítimas e ele respondeu que o único sonífero que dava era um tiro na cabeça", disse o agente policial Evair Rodrigues dos Santos, da Delegacia de Colniza.Em Cuiabá, o matador de taxistas evitou responder as perguntas dos jornalistas, chamando-os de "idiotas". Bezerra de Lima nasceu na cidade de Manga (MG). Ele informou que é casado e tem dois filhos. A nona vítima do desempregado pode ser o taxista Alonso de Melo, que está desaparecido. O carro da vítima foi encontrado abandonado na periferia de Porto Velho (RO).

Agencia Estado,

12 de setembro de 2004 | 16h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.