Com Mangueira, frevo vira samba na Marquês de Sapucaí

Após polêmica, Beth Carvalho e Ivo Meirelles fizeram declarações de amor à escola

Gustavo Miranda e Jacqueline Farid, estadao.com.br e Agência Estado

04 de fevereiro de 2008 | 04h17

A Estação Primeira de Mangueira juntou frevo com samba para tentar quebrar o jejum de cinco anos sem o título de campeã do carnaval do Rio. Com o tema '100 Anos do Frevo, É de Perder o Sapato. Recife Mandou Me Chamar...', a escola mostrou que essa mistura dá samba e fez bonito na Marquês de Sapucaí. A última vez que a agremiação evocou temas do Nordeste, em 2002, foi campeã. Quinta e penúltima escola a desfilar neste domingo, 3, a Estação Primeira levantou a galera no sambódromo. Saiba como foram os desfiles em SP no 2º diaSaiba como foram os desfiles em SP no 1º diaVeja as melhores imagens dos desfiles em SP Qual escola de samba será campeã em SP?  Qual escola de samba será campeã no Rio?  Tudo sobre as escolas do Rio e os sambas  As melhores imagens do Carnaval pelo Brasil  Com muitas sombrinhas, baile de máscaras, maracatu e cortejo carnavalesco ao som de instrumentos de percussão, o desfile tem o patrocínio da prefeitura do Recife. O samba-enredo, assim como o ritmo do frevo, caiu na boca do povo. O desfile da verde-e-rosa foi tradicional. A grande surpresa da escola estava em seu último carro, que tem o formato de viola e reproduz nos 50 metros de extensão uma favela com os instrumentos musicais de fanfarra, o compositor Cartola e o Galo da Madrugada, uma das tradições nordestinas.  O enredo dividiu-se nos setores "Recife mandou me chamar", "Baile de máscaras", "Dragões de momo", "Amor de carnaval", "Bloco das flores", "O maracatu" e "O frevo". A Mangueira foi fundada em 1928, mas concorreu pela primeira vez em 1932.  Mangueirenses para sempre A cantora Beth Carvalho e o sambista Ivo Meirelles, que protagonizaram sérios conflitos com a Mangueira no último ano, fizeram declarações de amor à escola. Antes de desfilar na Viradouro no carro "as rosas não falam", a sambista, uma das mais tradicionais integrantes da escola verde e rosa, disse no camarote da Brahma que "sou mangueirense e vou morrer mangueirense".  Ela disse que torce pela vitória da Mangueira, mas não voltou a desfilar na escola porque ainda aguarda "desculpas formais" da diretoria. A cantora comentou também as recentes denúncias de envolvimento do tráfico com a escola. "A Mangueira é muito mais que tudo isso", disse. Ivo Meirelles, que deixou a diretoria da bateria da escola no ano passado, em meio ao surgimento das denúncias e teria sido ameaçado pelo tráfico, também foi ao camarote para torcer pela Mangueira, declarando-se "apaixonado" pela escola. Meirelles disse que sente tristeza por não desfilar com a agremiação neste carnaval, mas torce pela vitória. "Não sou de guardar mágoa, mas o que aconteceu deixou uma ferida que vai demorar a cicatrizar", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
Carnaval 2008Mangueira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.