Tasso Marcelo/AE
Tasso Marcelo/AE

Com muita música e fogos, previsão é de nebulosidade no fim de ano do Rio

Chuva não deve, porém, causar transtornos; David Guetta e Beth Carvalho são algumas das atrações

Fábio Grellet e Felipe Werneck, O Estado de S.Paulo

27 de dezembro de 2011 | 20h15

RIO - A previsão é de um fim de ano nebuloso no Rio de Janeiro. "Não dá para descartar a possibilidade de chuva na virada", disse nesta terça-feira, 27, a meteorologista do Climatempo Josélia Pegorim. "Mas é uma chuva fraca, que não deve causar transtornos", ela acrescentou.

 

A frente fria chegou ao Rio no domingo. Não há expectativa de dia ensolarado até fim do ano na cidade e nem mesmo na primeira semana de janeiro. "Poderá haver períodos de sol, mas o predomínio até o dia 31 deverá ser de muita nebulosidade com a ocorrência de chuva fraca a moderada, especialmente à tarde e à noite", disse a meteorologista.

Já na primeira semana de 2012 deve ocorrer uma intensificação da instabilidade, segundo ela, com a ocorrência de chuva forte. Para o secretário de Turismo do Rio, Antonio Pedro Figueira de Mello, a possibilidade de chuva é um "detalhe".

 

Estão previstos 16 minutos de queima de fogos na festa da virada. "O tempo sempre abre na hora da virada. Mesmo se chover, não vai atrapalhar de jeito nenhum". Amanhã, ele e o prefeito Eduardo Paes devem vistoriar o palco Sol, o principal do réveillon carioca, em frente ao Hotel Copacabana Palace, na zona sul. A visita estava prevista para hoje, mas foi adiada.

Um das estrelas do palco principal, Beth Carvalho disse que chuva "sempre atrapalha". "Espero que não chova. São Pedro tem que ser sambista!" É a terceira vez que ela canta na virada. "É sempre emocionante".

 

Meio ambiente. O tema oficial deste ano será a sustentabilidade, marcando a contagem regressiva para a Rio +20, conferência das Nações Unidas que será realizada na cidade em junho. A festa em Copacabana terá quatro palcos. Os dois principais ficarão em frente ao Copacabana Palace e na direção da Rua Santa Clara.

 

O palco situado em frente ao hotel terá programação das 18 horas às 3h30. As atrações serão Beth Carvalho (20 horas), O Rappa (22 horas), Latino (0h16h) e David Guetta (1h40). No palco da Rua Santa Clara (Água), a programação vai das 18 horas às 3 horas. Os destaques serão Moraes Moreira (22h15), Blitz (0h16) e a bateria da Mangueira (2h30). Os outros dois palcos terão DJs.

Virada. O som será interrompido às 23h55. A contagem regressiva começará quando restarem 20 segundos para a meia-noite. A queima das 24 toneladas de fogos de artifício, distribuídas por 11 balsas ao longo da praia, deve demorar 16 minutos.

 

A festa contará com 300 banheiros químicos, 30 postos de policiamento, 6 postos médicos e 26 UTIs móveis. Está prevista para a madrugada de sexta-feira uma simulação da nova operação de transporte público a ser adotada no bairro.

 

O Metrô Rio informou que havia vendido 58.712 dos 141,5 mil cartões de embarque para o réveillon. A prefeitura vai promover shows em outros oito pontos das zonas oeste, norte e sul.

Expectativa. A comissária de bordo Cleide Lima, de 31 anos, visitava hoje o Rio pela primeira vez. Mineira de Montes Claros, ela disse que não deixa de aproveitar a cidade, apesar da falta de sol. Estava de calça jeans na Praia do Leme. "Fui até na cachoeira. A água estava gelada, mas deu para entrar".

 

João Santana, de 38 anos, estava feliz com a chuva. Em menos de dez minutos, vendeu quatro guarda-chuvas em frente ao Copacabana Palace, todos com estampas do Cristo, do Pão de Açúcar e do Maracanã. "A cidade está cheia de turista, tenho que dar uma opção para eles. É minha sobrevivência".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.