Com nomes aprovados, Zuanazzi deve deixar Anac, diz Jobim

Ministro informa que presidente da agência aérea não pode sair antes de aprovação do Congresso

TÂNIA MONTEIRO,

14 de outubro de 2007 | 20h38

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse neste domingo que no momento em que o Congresso Nacional aprovar o nome dos três indicados pelo governo para exercerem cargos de direção na Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), o presidente do órgão, Milton Zuanazzi, poderá deixar o cargo. "No momento que tivermos os três (nomes aprovados pelo Senado), aí há condições para que o senhor Milton Zuanazzi se retire", declarou Jobim, ao anunciar que espera que, esta semana, o plenário do Senado aprove o nome do brigadeiro da reserva Allemander Pereira Filho. A agência, criticada durante toda a crise aérea, teve várias renúncias em sua direção e começou a ser reformulada quando Jobim assumiu a Defesa. Na Amazônia, visitando tropas do Exército na fronteira do país, Jobim disse que tem conversado com o senador Marcondes Perillo (PSDB-GO), presidente da Comissão de Infra-Estrutura do Senado, para que seja apressada a sabatina dos outros dois indicados para assumir a direção da Anac, no lugar de Leur Lomanto e Joseph Barat, que se afastaram dos seus cargos. Segundo o ministro, Milton Zuanazzi não poderia sair da presidência da Anac enquanto não forem designados os outros três nomes. "Já temos três nomes aprovados. Pretendo que o Senado aprove o nome do brigadeiro Alemander ainda esta semana e tem mais dois outros nomes que espero que, na terça-feira, possamos fazer a audiência pública destes dois personagens", reiterando que, assim que todos tiveremn sido aprovados, Zuanazzi deixa o cargo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.