Com PDT, PC do B e PSB, Kassab tenta criar 3ª via

Além de flertar com o PMDB, prefeito se reúne com 'bloquinho' e busca alternativas para acabar com polarização PT-PSDB

André Mascarenhas ESTADÃO.COM.BR, Roberto Almeida, O Estado de S.Paulo

23 Novembro 2010 | 00h00

De saída do DEM e próximo do PMDB, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, já articula uma base de apoio com PDT, PC do B e PSB para consolidar uma "terceira via" política no Estado. Para promover o rearranjo, Kassab sinalizou ontem, em almoço com líderes das três legendas, que mudará de partido até o final do ano. Ele deve reformular o governo a partir de janeiro para acomodar os novos aliados.

O argumento para a transformação política do prefeito, bem-vindo no chamado "bloquinho", é acabar com a polarização entre PT e PSDB e abrir caminho para um movimento de "centro-esquerda" a partir de sua chegada ao PMDB. Na avaliação de dirigentes das siglas, o movimento garante força política suficiente para retirar dos tucanos o domínio do governo de São Paulo, que completará 20 anos ao fim da gestão de Geraldo Alckmin (PSDB).

Participaram do encontro os deputados Aldo Rebelo (PC do B), Márcio França (PSB) e Paulo Pereira da Silva (PDT). Ao Estado, Kassab disse que ofereceu o almoço para "conversas de fim de ano" e "tratar de assuntos da cidade". Segundo França, novo encontro está marcado para a primeira quinzena de janeiro. De acordo com ele, Kassab deixou clara sua disposição em compor um bloco de centro-esquerda com os três partidos com vistas às eleições de 2012 e 2014.

O prefeito afirmou ainda que está "equidistante" com relação a PT e PSDB, o que lhe capacitaria a recompor forças com mais facilidade. "É uma mudança que certamente vai chacoalhar muitas prefeituras no Estado", observou França, prevendo uma debandada de quadros do PSDB e do DEM para um futuro PMDB com Kassab.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.