Fundação Oscar Niemeyer/Reprodução
Fundação Oscar Niemeyer/Reprodução

AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Com projeto de Niemeyer, governo do DF anuncia Museu da Bíblia em Brasília

Obra foi elaborada pelo arquiteto há 32 anos; assinatura da carta de intenções teve presença de parlamentares e lideranças evangélicas

Priscila Mengue, O Estado de S.Paulo

10 de outubro de 2019 | 10h02

SÃO PAULO - O governo do Distrito Federal anunciou na quarta-feira, 9, a construção de um Museu da Bíblia em Brasília. Com projeto original de Oscar Niemeyer, de 1987, a obra é orçada em R$ 63 milhões e terá capacidade para 50 mil pessoas.

A Carta de Intenções e Compromissos para a captação de recursos foi assinada pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) em evento com a presença de integrantes da Frente Parlamentar Evangélica do Congresso e de lideranças evangélicas. 

A proposta é erguer o museu no chamado “Eixo Monumental” de Brasília, que inclui o Teatro Nacional e o Memorial JK, dentre outros. Por estar em área tombada, o projeto precisará ser aprovado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O Plano Piloto de Brasília é considerado patrimônio mundial pela Unesco.

O museu terá 15 mil metros quadrados divididos em cinema, praça de alimentação, teatro, biblioteca, salas de palestras e espaços expositivos. Ele tem a construção prevista em um projeto de lei de 1991, cuja redação final foi publicada em 1995. Já foi chamado anteriormente de Templo da Bíblia, Memorial à Bíblia e Memorial da Bíblia.

Quatro croquis do projeto original estão disponível para visualização no site da Fundação Oscar Niemeyer. Em um deles, é mostrado que a obra tem uma abertura superior para a entrada de luz natural. 

Segundo o governo do Distrito Federal, o museu terá o objetivo de preservar a “memória religiosa por meio da divulgação das sagradas escrituras, promovendo, de acordo com seus idealizadores, educação e cultura”. Além disso, o espaço seria inspirado em um museu homônimo de Washington. A expectativa é que receba 100 mil visitantes ao ano. 

No evento, o governador disse que a obra será a maior de sua gestão. “Ideologia, cada um tem a sua; time de futebol, cada um tem o seu e religião também; por isso nós temos a obrigação de respeitar as pessoas, a diversidade e as vontades delas que são feitas sob o manto de Cristo.”

Há pelo menos dois espaços expositivos com temática semelhante no Brasil, ambos ligados à organização evangélica Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), que esteve presente no evento em Brasília.  Um deles é o Museu da Bíblia, de Barueri, em São Paulo, e o Centro Cultural da Bíblia, no Rio./Com informações da Agência Brasília

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.