Com subsídio da caixa e do pai

Com 18 anos, Helena vai entrar, por volta de outubro de 2011, no seu primeiro imóvel próprio Prazo. Helen espera quitar apartamento em dez anos

Moacir Assunção, O Estado de S.Paulo

02 de maio de 2010 | 00h00

A estudante universitária Helen Souza Almeida, de 18 anos, vai entrar, por volta de outubro do próximo ano, no seu primeiro imóvel próprio. Com emprego de auxiliar administrativa, ela assinou nesta semana na Caixa Econômica Federal (CEF) o contrato de financiamento de um apartamento na região do Aricanduva, zona leste de São Paulo.

Para isso, Helen contou com subsídio do governo federal previsto no Minha Casa, Minha Vida. No valor original de R$ 110 mil, o imóvel saiu por R$ 95 mil, graças ao desconto. O principal programa habitacional do governo tem como meta a construção de 1 milhão de moradias para o público de baixa renda.

"Se não fosse o subsídio, não conseguiria comprar. Ainda assim, vai ficar um pouco caro, mas o meu pai vai ajudar a pagar as prestações", contou. O apartamento de dois quartos deve ser quitado em dez anos.

No caso de Helen, o subsídio poderia ter sido de até R$ 23 mil, mas, como ele teve aumento de salário na empresa, o valor ficou na faixa de R$ 14 mil. "Vou fazer um esforço para quitar antes", diz ela. "A ideia da minha família é pagar duas prestações de uma vez, para diminuir o prazo de financiamento."

A família dela mora em uma casa própria, na região da Vila Carmosina, em Itaquera, também na zona leste, mas se mudará para o imóvel novo tão logo ele saia. O apartamento ficará no nome de Helen e a casa antiga passará a ser de suas irmãs.

O funcionário público Victor Hugo de Oliveira Alves, de 28 anos, por sua vez, não vê a hora de se mudar com a família para o apartamento que comprou pelo programa em Ferraz de Vasconcelos, na Grande São Paulo. "Minha mulher já está vendo os móveis planejados e estamos nos organizando para mudar", afirmou Alves. Como mora em frente à obra, todo dia ele "fiscaliza" o andamento da construção do futuro imóvel.

No valor de R$ 87 mil, o apartamento, construído pela MRV Engenharia, com planejamento de entrega em novembro de 2011, será a primeira casa própria da família. Atualmente, ele paga R$ 200 por mês de aluguel.

No Minha Casa, Minha Vida, o subsídio chegou a cerca de R$ 9 mil, o que barateou o valor do imóvel e das prestações. "Não daria para comprar, se não fosse o desconto", explicou. "Mesmo assim, as prestações ficarão em R$ 500, o que me fará apertar um pouco mais o cinto."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.