Comando de greve dos Correios rejeita proposta do governo

Governo mantém proposta de reajuste de 3,74%, mas oferece aumento linear de mais R$ 10

Leonardo Goy, do Estadão,

18 Setembro 2007 | 20h25

O comando de greve dos funcionários dos Correios decidiu nesta terça-feira, 18, rejeitar a contraproposta salarial apresentada pela direção da empresa e pelo ministro das Comunicações, Hélio Costa. O governo havia mantido a proposta de reajuste de 3,74%, mas ofereceu um aumento linear de mais R$ 10 a ser aplicado em abril.   "Foi muito pouco, mas pelo menos quebramos o gelo das negociações e esperamos melhorar a proposta", disse o representante do comando de greve José Gonçalves de Almeida.   Os líderes do movimento grevista vão se reunir novamente nesta tarde com a direção da empresa para comunicar a rejeição da proposta e, em seguida, vão sugerir às assembléias que mantenham a greve, iniciada há seis dias.   Segundo Gonçalves, a proposta completa do governo consiste em um abono de R$ 400, um reajuste de 3,74%, mais R$ 50 de aumento linear em janeiro e mais R$ 10 em abril. Os grevistas querem um reajuste de cerca de 47%, mais aumento linear de R$ 200 a todos os funcionários da empresa.   O ministério das Comunicações chegou a anunciar que o ministro Hélio Costa daria uma entrevista para comentar as negociações com os funcionários dos Correios. Mas, tendo em vista que a proposta do governo foi rejeitada, a entrevista foi cancelada.

Mais conteúdo sobre:
Correios

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.