Comando Vermelho assume ação no Rio, mas governo desconfia

Um comunicado com a assinatura da facçãocriminosa Comando Vermelho, dizendo que a ação de fechamento docomércio do Rio nesta segunda-feira foi um protesto contra o tratamento dado a traficantes presos, chegou nesta terça à imprensa. O textotambém ameaça repetir a dose, caso não sejam tomadas providências.Para o Secretário de Segurança Pública do RJ, Roberto Aguiar, a nota não é do CV. O Chefe de Polícia Civil, Zaqueu Teixeira, considera o texto "um manifesto de cunho político,que visa jogar a polícia contra a população"."O fato de os comércios terem que fecharnesta segunda-feira, dia 30 de setembro de 2002, não foi por terrorismo, nem tampouco ato político, foi um manifesto contra otratamento arbitrário sofrido pelos presos de Bangu 1, do Batalhão de Choque, e de todo o Estado." O texto ameaça fechar o comércio novamente. "Caso não haja nenhuma providência nesse sentido, voltaremos sim a fechar todo o comércio no Rio de Janeiro, e caso venham a abrir suas portas, verão do que somos capazes."O comunicado foi distribuído por um rapaz que disse ter sido forçado pelos traficantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.