Comando Vermelho assumiu autoria de distúrbios, diz secretário

O secretário de Segurança Pública do Rio, Josias Quintal, divulgou uma carta em que, segundo ele, a facção criminosa Comando Vermelho assume a autoria dos atos criminosos cometidos nesta madrugada em diversos pontos da cidade. Ele disse ter certeza de que a ordem partiu de lideranças de dentro dos presídios fluminenses. De acordo com o secretário, a carta foi distribuída em estabelecimentos comerciais para "criar uma onda de terror e um clima de instabilidade".De acordo com o secretário, seis pessoas foram presas quando distribuíam o documento. Para Quintal, os ataques seriam uma represália por causa da atuação firme da polícia contra o crime. "Ao contrário do que ocorreu na gestão passada, não é o governo que está afirmando que a onda de violência é uma resposta à atuação da polícia. São os próprios criminosos que estão reclamando da repressão", disse, referindo-se a ação semelhante em outubro de 2002, no governo de Benedita da Silva (PT).Segundo Quintal, a polícia sabia desde o fim da noite de ontem da intenção de criminosos de realizar atos simultâneos pela cidade. "É uma tentativa desesperada desses vagabundos, mas vai ter resposta: a polícia está na rua." A governadora Rosinha também atacou a antecessora em rápido discurso de inauguração de um projeto de delegacias legais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.