Começa audiência sobre proteção de assassino de João Hélio

Nesta terça-feira, 23, PPCAAM concluiu que jovem deve permanecer sob proteção devido a ameaças de morte

Pedro Dantas, de O Estado de S. Paulo,

24 de fevereiro de 2010 | 14h40

JOAO12.jpg

RIO - Começou nesta tarde, na 2.ª Vara da Infância e da Juventude, a audiência especial que decidirá sobre a permanência de E. no Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente Ameaçado de Morte (PPCAAM). A audiência acontece no terceiro andar do prédio da Justiça da Infância e da Juventude. O juiz Marcius da Costa Ferreira decidirá se o jovem permanece no programa ou cumpre o regime de semi-liberdade no Rio.

 

O magistrado ouvirá o parecer técnico da organização dos direitos humanos Projeto Legal, de um assistente social, de um psicólogo, antes de proferir a sentença. Ontem à noite, a reunião do conselho gestor do PPCAAM concluiu que E. deve permanecer sob proteção por causa das ameaças de morte recebidas quando ele estava internado em instituições do Departamento Geral de Ações Sócio-Educativos.

 

E. é um dos envolvidos na morte do menino João Hélio Vieites, arrastado por sete quilômetros pelos rapazes que roubaram o carro de sua mãe, em fevereiro de 2007. E. tinha 16 anos quando participou do crime.

Mais conteúdo sobre:
João HélioPPCAAMRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.