Começa hoje em SP julgamento de acusados de matar líder índigena

Ministério Público pediu transferência alegando que não há isenção suficiente no Estado onde o crime aconteceu, no MS

Solange Spigliatti, do estadão.com.br

03 de maio de 2010 | 08h23

São Paulo, 3 - Começa nesta segunda-feira, 3, o julgamento dos acusados pelo assassinato do cacique guarani-kaiowá Marcos Veron, ocorrido em janeiro de 2003 em Juti, no interior de Mato Grosso do Sul.

 

O júri acontecerá no Fórum Criminal Federal, na Alameda Ministro Rocha Azevedo, em Cerqueira César, na região central de São Paulo, e será presidido pela juíza federal Paula Mantovani Avelino, da 1ª Vara Federal Criminal.

 

O Ministério Público Federal (MPF) pediu a mudança do Júri de Mato Grosso do Sul para São Paulo alegando que naquele Estado não há condições de isenção suficientes para garantir um julgamento imparcial.

 

Além disso, o Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3) determinou que o Júri ocorra em São Paulo para evitar que a decisão sofra influência social e econômica dos supostos envolvidos no crime.

 

O cacique foi morto em janeiro de 2003 em Juti, no interior de Mato Grosso do Sul, no acampamento indígena Takuara, localizado na fazenda Brasília do Sul. Na ocasião, quatro homens armados ameaçaram, espancaram e atiraram nos líderes indígenas, incluindo o cacique Veron, que na época tinha 72 anos. Ele foi levado para o hospital com traumatismo craniano, mas não resistiu e morreu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.