Começa julgamento de mais três acusados da morte da juíza Patrícia Acioli

Magistrada era responsável pelo Tribunal do Júri de São Gonçalo, no Grande Rio, e foi executada em agosto de 2011, com 21 tiros

Agência Brasil

29 de janeiro de 2013 | 13h43

RIO – A Justiça começou a julgar na manhã desta terça-feira, 29, mais três policiais militares acusados de matar a juíza Patrícia Acioli em agosto de 2011. A magistrada era responsável pelo Tribunal do Júri de São Gonçalo, no Grande Rio, e foi executada com 21 tiros quando chegava em casa à noite, no município de Niterói.

Junior Cezar de Medeiros, Jefferson de Araújo Miranda e Jovanis Falcão vão ser julgados no 3º Tribunal do Júri de Niterói, e as sessões devem durar três dias. Eles respondem por homicídio triplamente qualificado e formação de quadrilha, cujas penas variam de dois a 30 anos de prisão.

Ao todo, 11 policiais militares são acusados de participar do assassinato da juíza, que era considerada linha-dura em relação a crimes cometidos por agentes da lei. O primeiro acusado, o cabo Sérgio Costa Júnior, foi beneficiado com a delação premiada e julgado sozinho, em dezembro do ano passado. Mesmo tendo colaborado com a Justiça, foi condenado a 21 anos de prisão em regime fechado.

Mais sete policiais acusados aguardam decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) para o julgamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.