Começa novo julgamento de skinheads em SP

Com duas horas e 40 minutos de atraso, começou hoje, no 1º Tribunal Júri do Fórum Mário Guimarães, o julgamento de Vanderlei Cardoso de Sá e Regina Saran Velasco, acusados de fazerem parte do grupo de 16 skinheads que assassinou, na madrugada do dia 2 de fevereiro de 2000, o adestrador de cães Edson Neres da Silva. O mesmo grupo também agrediu Dario Pereira Neto, que andava de mão dadas com Silva pela Praça da República.A demora do início do julgamento foi provocada pela ausência de um jurado. A Justiça convocou 21 pessoas para compor o conselho de sentença, mas compareceram apenas 14 - o número mínimo para se realizar o sorteio dos sete jurados são 15. O juiz Luiz Fernando Camargo de Barros Vidal mandou buscar o 15º jurado, o que demorou mais de uma hora.Inicialmente deveria ocorrer, também, o julgamento de mais dois envolvidos, Roberto Fernando Gros Dias e David Alves dos Santos Júnior. Um acordo entre a Promotoria e os advogados de defesa transferiu o julgamento desses réus para outro dia, ainda a ser marcado.Após o sorteio dos jurados, o juiz ouviu os depoimentos de Sá e Regina. Os dois negaram ter participado do crime e disseram que estavam apenas de passagem pela Praça da República.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.