Começa resgate de corpos de vítimas de acidente aéreo no Rio

Os corpos das vítimas do acidente com o avião da Team Empresa Aérea que caiu na noite de sexta-feira na região de Rio Bonito começaram a ser regatados por agentes da Defesa Civil do Rio de Janeiro. Dois helicópteros da Força Aérea Brasileira (FAB) estão sendo usados na operação. Os corpos, que já estão ensacados, serão içados pelas aeronaves e transportados de rabecão ao Instituto Médico Legal (IML) do Rio de Janeiro.O diretor do IML, Roger Ancilotti, informou que os corpos estão "carbonizados e mutilados", o que pode dificultar a identificação. "Pelo menos seis corpos estão em condições razoáveis e se as arcadas dentárias estiverem perfeitas, o reconhecimento será feito com mais facilidade. Os demais terão que ser submetidos a um teste de DNA", disse.Um funcionário da construtora Hochtief do Brasil chegou à localidade de Boa Esperança, próximo ao local do acidente, e informou que cinco funcionários da empresa, todos moradores de São Paulo, estavam no vôo para o Rio, de onde pegariam a ponte aérea para a capital paulista."A gente sempre brincava para eles irem de ônibus. Dava até para dormir. Mas os funcionários que moravam mais longe costumavam pegar esse vôo semanalmente", lamentou o funcionário Paulo Pereira. Ele também confirmou os nomes dos empregados da Hochtief que morreram no acidente. São eles: Bartolomeu Antunes, Jorge Costa, Marco Galasso, Ribamar Cassemiro e Thais Santos.A dentista Cristiana Carvalho também chegou a Boa Esperança para acompanhar o resgate do corpo do irmão, Henrique Carvalho, de 33 anos. Ela se queixou do que classificou de omissão da Team Empresa Aérea. "Nos colocaram em um hotel ontem a noite e nos deixaram sem nenhuma informação. Sabíamos dos detalhes do acidente por pessoas de fora. A lista dos passageiros só saiu às 3 da manhã", disse.O acidenteO acidente ocorreu na divisa entre os municípios de Rio Bonito e Saquarema, num local com morros cobertos por mata, de difícil acesso. Segundo bombeiros, o avião se chocou com o topo de um morro. Moradores de Casemiro de Abreu, município próximo a Saquarema, teriam visto um avião voando baixo e, em seguida, ouvido uma explosão.O bimotor desapareceu no fim da tarde desta sexta-feira. O vôo 6865 decolou de Macaé, cidade do norte fluminense, às 17h20 e deveria ter pousado no Aeroporto Santos Dumont, no Rio, às 18 horas.O Departamento de Aviação Civil (DAC) informou que 20 minutos depois da decolagem a aeronave sumiu do radar da torre de controle do Santos Dumont.Matéria alterada às 12h10 com o resgate dos primeiros corpos

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.