Começam obras para famílias da Serra do Mar

Programa prevê moradias para 15 mil pessoas que vivem nos morros

Rejane Lima, O Estadao de S.Paulo

20 de junho de 2009 | 00h00

O governo de São Paulo assinou ontem o primeiro contrato para a construção de um conjunto habitacional para as famílias cadastradas no Programa de Revitalização da Serra do Mar, em Cubatão. Anunciado em junho de 2007, o programa prevê a retirada de 15 mil pessoas do Parque Estadual da Serra do Mar, no pé e na encosta do morro.O contrato entre a empreiteira Schahin Engenharia S/A, vencedora da licitação, e a Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo foi assinado na regional da CDHU em Santos e prevê a construção de 1.840 unidades habitacionais no Residencial Rubens Lara, no Jardim Casqueiro. Orçada em R$ 175,2 milhões, a obra começa a ser feita em 10 dias.O secretário de Estado da Habitação, Lair Krähenbühl, explica que o conjunto terá apartamentos de dois e três dormitórios com 55m² e sobrados para quem quiser trabalhar no térreo. "Privilegiando as pessoas que já têm comércio, costureiras, borracharias", explicou. As edificações terão ainda aquecedor solar para reduzir o gasto com energia elétrica. De acordo com o secretário, a obra começará a ser entregue no segundo semestre de 2010 e a partir de agora não deverão ocorrer mais atrasos por causa de questões judiciais. O processo licitatório atrasou oito meses por causa do recurso judicial de um dos participantes.PROJETOSegundo a coordenadora do Projeto Serra do Mar na área habitacional, Maria Teresa Soares Silveira, o cadastro do projeto em Cubatão tem hoje 7.760 famílias - 5.350 delas serão retiradas do local onde vivem e 2.410 permanecerão ali, em área que será urbanizada. Além do Conjunto Rubens Lara, a CDHU prevê a construção de outros dois empreendimentos para atender a essa demanda: o Bolsão 9, com 1.154 unidades, e o Bolsão 6, com 600."Nós temos as unidades do PAR - Programa de Arrendamento Residencial que a CDHU comprou da Caixa Econômica Federal e que realizará o acabamento da obra no final desse ano, começo do próximo - em Peruíbe, Itanhaém e Praia Grande. Vamos ter um empreendimento em São Vicente que está em fase de projeto", disse Maria Tereza, completando que o cadastro tem 1.700 pessoas que trabalham fora de Cubatão e para elas serão oferecidos empreendimentos em outros municípios, incluindo Grande São Paulo. Uma alternativa poderá ser o uso de carta de crédito. "Nós acreditamos que o reassentamento esteja concluído ate o final de 2010 e aí sim continuam as obras de urbanização", completou a coordenadora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.